sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Violência extrema no Ceará



Cidades da Grande Fortaleza registraram a segunda noite seguida de ataques na madrugada desta sexta-feira (4). Em um dos atentados, criminosos incendiaram uma agência da Caixa Econômica Federal no Bairro Pajuçara, em Maracanaú, Região Metropolitana da capital. Desde a noite de quarta-feira (2), ocorreram 39 ataques em Fortaleza, Caucaia, Horizonte e Maracanaú.

Treze ônibus foram destruídos com fogos, tiros foram disparados contra prédios e bancos e artefatos caseiros incendiários foram arremessados contra uma delegacia em Maracanaú desde o início dos ataques. Segundo a Secretaria da Segurança do Ceará, 18 suspeitos foram detidos.

A Secretaria de Segurança do Ceará não informou a motivação dos crimes. O presidente do Conselho Penitenciário do Estado do Ceará, Cláudio Justa, acredita que os atentados são represália à fala do novo secretário de Administração Penitenciária (SAP), Luís Mauro Albuquerque, que foi nomeado para o cargo neste ano. O novo secretário afirmou que "o Estado não deve reconhecer facção" em presídio e fará fiscalização rigorosa para evitar a entrada de celular nas unidades prisionais.

Luís Mauro Albuquerque ainda se posicionou contra a separação de detentos por facção criminosa nas unidades prisionais do Estado.

No ataque ao prédio da Caixa da Pajuçara, na madrugada desta sexta, um grupo invadiu a agência com um carro, quebrou as vidraças e em seguida incendiou o local. Os suspeitos estavam acompanhados de um grupo que deu apoio à fuga, de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O prédio foi incendiado pelos criminosos.

Ainda durante a madrugada desta sexta-feira, o Palácio Municipal da Prefeitura de Maracanaú também foi atacado. Uma das salas no térreo, que estava em reforma, foi incendiada. A ação não resultou em vítimas e o fogo foi controlado logo em seguida. Ninguém foi preso até o momento.

Delegacia atacada
O 8º Distrito Policial de Fortaleza (CE) também sofreu uma tentativa de incêndio na madrugada desta sexta-feira. Segundo a Polícia Civil, dois suspeitos tentaram incendiar veículos no entorno da delegacia. Houve troca de tiros e os homens fugiram.

Segundo a Polícia Civil, a bomba foi atirada contra a delegacia logo depois da meia-noite. Dois homens chegaram em uma moto e jogaram um artefato com formato de dinamite. O material não explodiu.

Os policiais e agentes da delegacia trocaram tiros com os suspeitos, que conseguiram fugir. O esquadrão antibombas da Polícia Militar foi acionado e retirou a bomba do local. Ninguém se feriu.

Já na noite de quinta-feira (3), uma revendedora de carros foi assaltada e incendiada, no Bairro Papicu, área nobre de Fortaleza. Cinco homens foram responsáveis pelo crime, conforme um funcionário da empresa. Houve reféns durante a ação.

A sequência de ataques, iniciada na noite de quarta, teve as seguintes ações:

Incêndio de ônibus coletivo no Bairro Edson Queiroz
Incêndio de ônibus coletivo no Bairro Parque Santa Rosa
Explosão em viaduto próximo ao Bairro Metrópole, em Caucaia
Incêndio a veículo em Caucaia, Na Rua 114 no Conjunto Planalto Caucaia
Incêndio de seis veículos em Horizonte
Artefato inflamável arremessado em posto de combustível no Bairro Damas, em Fortaleza
Tiros em agência bancária no Bairro Otávio Bonfim
Danos a câmeras de videomonitoramento no Bairro Barra do Ceará
Danos a câmeras de videomonitoramento no Bairro Bom Jardim
Ataque a fotossensor no Bairro Moura Brasil.
Ataque a fotossensor no Bairro Messejana.
Ataque a fotossensor em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza
Ataque a semáforo no bairro Quintino Cunha
Ataque incendiário contra ônibus no Bairro Bonsucesso
Ataque a ônibus no Bairro Serrinha
Incêndio de ônibus coletivo no Bairro Parque Santa Rosa
Incêndio de ônibus coletivo no bairro Barroso
Incêndio a coletivo no bairro Mucuripe
Ataque de ônibus no Bairro Castelão
Ataque a ônibus no Planalto Airton Senna
Van incendiada no Sítio São João, em Messejana
Ônibus queimado na Rua Santa Philomena, no Bairro Henrique Jorge
Caminhão de lixo incendiado em Messejana; fogo atingiu também carro particular
Ataque a concessionária no Bairro Papicu
Explosão de carro durante incêndio de veículos no 27º Distrito Policial
Tentativa de incêndio a veículos no 8º Distrito Policial
Agência da Caixa Econômica incendiada na Avenida Francisco Sá
Agência bancária do Bradesco metralhada na Pontes Vieira
Tentativa de incêndio a lotérica no Bairro Jardim Iracema
Prédio do Detran foi atacado
Carro com explosivos apreendido e cruzamento interditado
Posto de combustível atacado no Bairro Conjunto Palmeiras
Agência da Caixa Econômica incendiada na Pajuçara
Ataque contra Palácio Municipal da Prefeitura de Maracanaú
Agência do Bradesco de Caucaia atingida por tiros
Suspeito morto em troca de tiro com policiais ao tentar destruir radar semafórico no Eusébio
Tentativa de incêndio a veículos do 24º Distrito Policial, em Pacatuba
Ônibus escolar incendiado em Tianguá
Centro Cultural de Pindoretama incendiado

Envio das Forças Armadas
Diante dos ataques, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), solicitou do ministro da Justiça, Sérgio Moro, apoio da Força Nacional. O ministro de Jair Bolsonaro decidiu que só serão enviadas "em caso de deterioração da segurança".

O Ministério da Justiça informou ainda na quinta-feira (3) que o titular da pasta, Sérgio Moro, decidiu que só enviará tropas da Força Nacional ao Ceará se houver "deterioração" da segurança no estado. O ministro determinou que PF, PRF e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) auxiliem no combate à violência.

"O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, determinou, nesta quinta-feira (3/1), à Polícia Federal, à Polícia Rodoviária Federal e ao Departamento Penitenciário Nacional que tomem todas as providências necessárias para auxiliar o estado do Ceará no combate aos atos de violência ocorridos ao longo do dia. A decisão visa dar apoio imediato ao estado, solicitado pelo governador Camilo Sobreira de Santana", diz a nota do ministério.

0 comentários:

Postar um comentário