terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Força Nacional de Segurança Pública permanecerá por mais 60 dias no RN



A Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) permanecerá por mais 60 dias no Rio Grande do Norte. A prorrogação foi autorizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. O decreto, que foi publicado na edição desta terça-feira (22) do Diário Oficial da União, também vale para os estados de Sergipe e Rio Grande do Sul.

Segundo o decreto (Veja AQUI a íntegra), o ministro Sérgio Moro levou em consideração manifestação dos governos dos estados, que solicitaram a prorrogação. No caso do Rio Grande do Norte, o pedido foi feito em 19 de dezembro de 2018, ainda na administração Robinson Faria.

Tanto no RN como em Sergipe, a Força Nacional deve continuar dando apoio aos órgãos de segurança pública, para atuar nas ações de policiamento ostensivo, polícia judiciária e perícia forense, nas atividades e nos serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

Governo do RN suspende gozo e pagamento de licença-prêmio a servidores



O Governo do Rio Grande do Norte suspendeu, até o dia 31 de dezembro deste ano, o deferimento de licença-prêmio para os seus servidores. O pagamento em dinheiro para quem acumulou o benefício ao longo da carreira também está suspenso temporariamente. O decreto, que foi publicado na edição desta terça-feira (22) do Diário Oficial, se dá em razão do estado de calamidade financeira do estado.

A suspensão vale para os servidores da administração direta, indireta ou fundacional do estado. Ve ja AQUI a íntegra do decreto.

Na esfera pública estadual, têm direito à licença-prêmio de três meses remunerados todos aqueles que completam cinco anos de serviço. Ou seja, a cada cinco anos trabalhados, o servidor ganha três meses de folga.

Há servidores que não gozam do benefício e preferem acumular as licenças para, quando da aposentadoria, requererem o benefício em forma de pagamento. Este direito, pelo decreto assinado pela governadora Fátima Bezerra, também está suspenso até o final do ano.

Medida semelhante já havia sido tomada pelo ex-governador Robinson Faria.

Bolsonaro diz que quer compatibilizar preservação ambiental com avanço econômico



Em sua estreia em eventos internacionais, o presidente Jair Bolsonaro discursou nesta terça-feira (22) na na abertura da sessão plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Em meio ao discurso de oito minutos, Bolsonaro afirmou aos líderes mundiais que o governo dele quer compatibilizar preservação do meio ambiente e biodiversidade com avanço econômico.

Diante das desconfianças internacionais em relação à política do governo Bolsonaro para a preservação ambiental, o presidente brasileiro disse na abertura do fórum que o Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente.

Ele citou estatísticas para tentar demonstrar aos líderes do planeta que o agronegócio não estaria avançando sobre florestas, por exemplo. Segundo ele, a agricultura ocupa apenas 9% do território brasileiro, e a pecuário, menos de 20%.

"Nossão missão é avançar na compatibilização da preservação do meio ambiente e biodiversidade com avanço econômico", discursou.

Bolsonaro foi o primeiro chefe de Estado da América Latina a discursar na abertura do fórum. Cerca de 250 autoridades do G20 (grupo que reúne as 20 principais economias do mundo) e de outros países compareceram ao evento, porém, a edição deste ano tem ausências importantes.

Em outro trecho do discurso, Jair Bolsonaro afirmou à plateia do fórum que assumiu a Presidência da República com uma "profunda crise ética, moral e econômica". Após dizer que não aceitou pressões políticas para montar seu ministério, o presidente apresentou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, como "homem certo" para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro.

"Vamos investir pesado na segurança para que vocês nos visitem com suas famílias, pois somos um dos primeiros países em belezas naturais, mas não estamos entre os 40 destinos turísticos mais visitados do mundo. Conheçam a nossa Amazônia, nossas praias, nossas cidades e nosso Pantanal. O Brasil é um paraíso, mas ainda é pouco conhecido", declarou.

Reformas
Depois de se apresentar aos líderes mundiais na abertura do discurso, Bolsonaro afirmou que tem "credibilidade" para realizar as reformas que o Brasil precisa e que o "mundo espera", sem especificar quais seriam as mudanças estruturais que pretende propor ao longo do mandato.

Ao final do pronunciamento, ao responder perguntas do fundador e presidente executivo do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, Bolsonaro mencionou a intenção de realizar as reformas previdenciária e tributária.

"Pretendemos diminuir o tamanho do Estado, realizar reformas, por exemplo, como a da Previdência e tributária, queremos tirar o peso do Estado de cima de quem produz, de quem empreende", afirmou Bolsonaro.

O presidente destacou ainda que pretende investir em educação e repetiu, mais uma vez, que deseja tirar o "viés ideológico" dos negócios realizados com outros países, "visando o comércio com aqueles que comungam com práticas semelhantes à nossa".

Ele ainda defendeu uma reforma da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Buscaremos integrar o Brasil ao mundo também por meio de uma defesa ativa da reforma da OMC, com a finalidade de eliminar práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais", disse no discurso.

Ausências importantes
O encontro deve contar com apenas três líderes do G7 (grupo formado pelos sete países mais industrializados do mundo): o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o premiê italiano, Giuseppe Conte.

Líderes mundiais poderosos, como os presidentes Donald Trump (EUA), Xi Jinping (China), Emmanuel Macron (França), Vladimir Putin (Rússia) e os primeiros-ministros Theresa May (Reino Unido) e Ram Nath Kovind (Índia), não foram aos alpes suíços para o encontro econômico.

Leia a íntegra do discurso de Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial:

Boa tarde a todos!
Muito obrigado, professor Schwab!

Agradeço, antes de mais nada, o convite para participar deste fórum e a oportunidade de falar a um público tão distinto.
Agradeço também a honra de me dirigir aos senhores já na abertura desta sessão plenária.
Esta é a primeira viagem internacional que realizo após minha eleição, prova da importância que atribuo às pautas que este fórum tem promovido e priorizado.
Esta viagem também é para mim uma grande oportunidade de mostrar para o mundo o momento único em que vivemos em meu país e para apresentar a todos o novo Brasil que estamos construindo.

Nas eleições, gastando menos de 1 milhão de dólares e com 8 segundos de tempo de televisão, sendo injustamente atacado a todo tempo, conseguimos a vitória.
Assumi o Brasil em uma profunda crise ética, moral e econômica.

Temos o compromisso de mudar nossa história.

Pela primeira vez no Brasil um presidente montou uma equipe de ministros qualificados. Honrando o compromisso de campanha, não aceitando ingerências político-partidárias que, no passado, apenas geraram ineficiência do Estado e corrupção.
Gozamos de credibilidade para fazer as reformas de que precisamos e que o mundo espera de nós.
Aqui entre nós, meu ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, o homem certo para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro.

Vamos investir pesado na segurança para que vocês nos visitem com suas famílias, pois somos um dos primeiros países em belezas naturais, mas não estamos entre os 40 destinos turísticos mais visitados do mundo. Conheçam a nossa Amazônia, nossas praias, nossas cidades e nosso Pantanal. O Brasil é um paraíso, mas ainda é pouco conhecido!

Somos o país que mais preserva o meio ambiente. Nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós. A agricultura se faz presente em apenas 9% do nosso território e cresce graças a sua tecnologia e à competência do produtor rural. Menos de 20% do nosso solo é dedicado à pecuária. Essas commodities, em grande parte, garantem superávit em nossa balança comercial e alimentam boa parte do mundo.Nossa missão agora é avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis.

Os setores que nos criticam têm, na verdade, muito o que aprender conosco.
Queremos governar pelo exemplo e que o mundo restabeleça a confiança que sempre teve em nós.

Vamos diminuir a carga tributária, simplificar as normas, facilitando a vida de quem deseja produzir, empreender, investir e gerar empregos.

Trabalharemos pela estabilidade macroeconômica, respeitando os contratos, privatizando e equilibrando as contas públicas.

O Brasil ainda é uma economia relativamente fechada ao comércio internacional, e mudar essa condição é um dos maiores compromissos deste Governo.
Tenham certeza de que, até o final do meu mandato, nossa equipe econômica, liderada pelo ministro Paulo Guedes, nos colocará no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios.

Nossas relações internacionais serão dinamizadas pelo ministro Ernesto Araújo, implementando uma política na qual o viés ideológico deixará de existir.
Para isso, buscaremos integrar o Brasil ao mundo, por meio da incorporação das melhores práticas internacionais, como aquelas que são adotadas e promovidas pela OCDE.

Buscaremos integrar o Brasil ao mundo também por meio de uma defesa ativa da reforma da OMC, com a finalidade de eliminar práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais.

Vamos resgatar nossos valores e abrir nossa economia.

Vamos defender a família e os verdadeiros direitos humanos; proteger o direito à vida e à propriedade privada e promover uma educação que prepare nossa juventude para os desafios da quarta revolução industrial, buscando, pelo conhecimento, reduzir a pobreza e a miséria.

Estamos aqui porque queremos, além de aprofundar nossos laços de amizade, aprofundar nossas relações comerciais.

Temos a maior biodiversidade do mundo e nossas riquezas minerais são abundantes. Queremos parceiros com tecnologia para que esse casamento se traduza em progresso e desenvolvimento para todos.

Nossas ações, tenham certeza, os atrairão para grandes negócios, não só para o bem do Brasil, mas também para o de todo o mundo.

Estamos de braços abertos. Quero mais que um Brasil grande, quero um mundo de paz, liberdade e democracia.

Tendo como lema “Deus acima de tudo”, acredito que nossas relações trarão infindáveis progressos para todos.

Muito obrigado.

Metrópole Digital da UFRN abre vagas para professor com salário de R$ 10 mil



O Instituto Metrópole Digital (IMD), ligado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), abriu edital com três vagas para professor(a) de ensino superior, com salários iniciais de R$ 10.043,67. As inscrições para o concurso estão abertas até o próximo dia 24 e a taxa é de R$ 220. O contrato é de regime de trabalho de dedicação exclusiva.

As oportunidades são destinadas às áreas de Internet das Coisas, Ciências de Dados Educacionais e Segurança da Informação. O edital nº 023/2018-PROGESP, que estabelece as regras do concurso público, inclui vagas para várias áreas da UFRN e foi publicado no último dia 7 de dezembro.

Tanto o edital como as relações dos programas do concurso, dos temas das provas didáticas e as expectativas de atuação profissional estão disponíveis no site da Pró Reitoria de Gestão de Pessoas (aqui). Para verificar esses documentos, deve-se acessar a opção “concursos” no menu principal do site.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente via internet e a taxa é de R$ 220,00. O concurso, além de exigir regime de trabalho de dedicação exclusiva, requer titulação de doutor e tem remuneração inicial (incluindo auxílio-alimentação e retribuição por titulação) de R$ 10.043,67.

Sobre o instituto
O Instituto Metrópole Digital (IMD) conta com um perfil diferenciado da maioria dos centros acadêmicos e departamentos das universidades federais brasileiras, com missão de fomentar a criação de um polo tecnológico em Tecnologia da Informação no estado, abrangendo iniciativas dos setores público, privado e acadêmico.

O IMD atua na formação dos níveis técnico, superior e na pós-graduação. Somam-se a isso atuações de pesquisa e inovação tecnológica, de formação de talentos e de incentivo à cultura do empreendedorismo, que resultaram na criação da Inova Metrópole, incubadora de empresas na área de Tecnologia da Informação (TI) e do Parque Tecnológico Metrópole Digital.

As vagas oferecidas pelo IMD são voltadas para atuação nos diversos níveis de ensino dos cursos que oferta, incluindo o Bacharelado em Tecnologia da Informação (BTI) e cursos de pós-graduação lato e stricto sensu, com expectativa de atuação no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Software e no Programa de Pós-graduação em Inovação em Tecnologias Educacionais.

Sisu oferece mais de 13 mil vagas de ensino superior no RN



O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abriu, na madrugada desta terça-feira (22), 13.099 vagas para os cursos de ensino superior em instituições do Rio Grande do Norte. As vagas são distribuídas entre universidades federais, estaduais e IFRN. As inscrições seguem até a próxima sexta-feira (25), e levam em conta a nota do candidato no Enem 2018.

As inscrições devem ser feitas na página do Sisu.
No estado, as vagas disponibilizadas estão distribuídas em 234 cursos oferecidos em Natal e no interior, por quatro instituições de ensino. São 6.933 vagas para a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), 2.710 para a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), 2.424 para a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e 1.032 vagas do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).

Em todo o país, estão em disputa 235.461 vagas em 129 instituições. Podem participar os candidatos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e não tiraram nota zero na prova de redação.

Cada candidato pode se inscrever em até duas vagas, especificando a ordem de preferência e o turno no qual pretende estudar.



Também é necessário definir a modalidade na qual o aluno se encaixa – ampla concorrência ou alguma relativa às ações afirmativas (com critérios raciais ou sociais).
Mudanças na lista de espera

Este ano, uma das novidades é com relação a lista de espera. Até 2018, o candidato a uma vaga no ensino superior poderia escolher duas opções de curso e desistir da segunda opção para ficar na lista de espera da primeira. Neste ano, a regra mudou.

Agora, haverá uma chamada regular e o estudante selecionado em uma das opções de curso desta chamada não poderá participar da lista de espera. Se ele não for selecionado, poderá ficar na lista de espera de apenas uma das suas opções de curso.

Segundo o MEC, a mudança na lista de espera é para permitir "maior liberdade de escolha para os estudantes não selecionados na chamada regular dos processos seletivos do Sisu."

A expectativa é que se reduza o tempo de convocação das listas de espera e que todos os estudantes estejam matriculados antes do período letivo. De acordo com a pasta, as mudanças poderão ajudar a diminuir a ociosidade das vagas.

Calendário do Sisu 1º semestre de 2019
Inscrições: 22/1 a 25/1
1ª chamada: 28/1
Matrículas da 1ª chamada: 30/1 a 4/2
Inscrição na lista de espera: 28/1 a 4/2
Convocações de outras chamadas: a partir de 7/2

Mãe e esposa de procurado em operação contra milícia trabalharam no gabinete de Flávio Bolsonaro



A mãe de um dos denunciados na operação contra milicianos deflagrada nesta terça-feira (22) foi lotada no gabinete de Flávio Bolsonaro quando ele era deputado estadual.
Raimunda Veras Magalhães, mãe do ex-capitão Adriano Magalhães da Nóbrega - que ainda é procurado -, aparece em relatório do Coaf como uma das remetentes de depósitos para Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio.

Raimunda, de acordo com o relatório do Coaf, depositou R$ 4,6 mil na conta de Fabrício Queiroz. Ela aparece na folha da Alerj com salário líquido de R$ 5.124,62.

A mãe de Adriano aparece nos quadros da Alerj desde 2 de março de 2015, quando foi nomeada assessora da liderança do PP, ao qual Flávio Bolsonaro era filiado. Saiu em 31 de março do ano seguinte, quando o deputado migrou para o PSC. Em 29 de junho de 2016, foi lotada no gabinete de Flávio. Foi exonerada dia 13 de novembro do ano passado.

Mulher de Adriano, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega também foi lotada no gabinete de Flávio na Alerj, com o mesmo salário da sogra. Ela é listada na Alerj desde novembro de 2010 e foi exonerada junto com a sogra.

O que diz Flávio Bolsonaro
Em nota, o senador eleito afirma que Raimunda Magalhães foi indicação de Fabrício Queiroz e que ele não pode ser responsabilizado por fatos até então desconhecidos.
"Continuo a ser vítima de uma campanha difamatória com objetivo de atingir o governo de Jair Bolsonaro.

A funcionária que aparece no relatório do Coaf foi contratada por indicação do ex-assessor Fabrício Queiroz, que era quem supervisionava seu trabalho. Não posso ser responsabilizado por atos que desconheço, só agora revelados com informações desse órgão.

Tenho sido enfático para que tudo seja apurado e os responsáveis sejam julgados na forma da lei.

Quanto ao parentesco constatado da funcionária, que é mãe de um foragido, já condenado pela Justiça, reafirmo que é mais uma ilação irresponsável daqueles que pretendem me difamar.

Sobre as homenagens prestadas a militares, sempre atuei na defesa de agentes de segurança pública e já concedi centenas de outras homenagens.

Aqueles que cometem erros devem responder por seus atos."

Governadora e parlamentares querem reunião com Bolsonaro e Paulo Guedes para discutir crise financeira do RN



A governadora Fátima Bezerra se reuniu nesta segunda-feira (21), em Natal, com deputados e senadores potiguares para discutir a liberação de recursos que precisam ser autorizados pelo Governo Federal. De acordo com Secretaria de Comunicação do Governo, Fátima obteve o compromisso dos parlamentares para obtenção dos recursos extras.

Na reunião, ficou definido que deputados federais e senadores vão assinar, junto com a governadora, um pedido de audiência com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ao lado dos auxiliares que compõem o Comitê de Gestão e Eficiência da administração, Fátima Bezerra explicou como recebeu o Estado e informou as medidas do Plano de Recuperação Fiscal - lançado no segundo dia da gestão e já em execução. Segundo a governadora, há necessidade de obtenção de recursos não previstos em orçamento.

Na ocasião, os secretários da área econômica apresentaram à bancada a situação financeira e fiscal do Rio Grande do Norte, que tem débitos de R$ 2,3 bilhões referentes aos pagamentos de servidores e fornecedores e previsão de deficit de R$ 1,8 bilhão no orçamento para 2019.

Fátima Bezerra pediu a união e o apoio das bancadas para as medidas que precisarão ser adotadas junto ao Governo Federal, como a liberação dos recursos da antecipação dos royalties do petróleo, a aprovação da repartição com Estados e municípios da cessão onerosa pela exploração de gás e petróleo, conclusão de obras como a Reta Tabajara, o complexo da Avenida Maria Lacerda e de obras de habitação e de segurança hídrica como a conclusão da barragem de Oiticica, no município de Jucurutu.

A governadora disse que o Governo “é do diálogo, aberto a críticas e sugestões” e pediu “o acesso direto, respeitoso e permanente” aos parlamentares. “Este é o meu sentimento e deve ser o dos secretários e auxiliares. Esta mesma disposição estamos tendo em relação aos poderes Judiciário e Legislativo. Queremos a bancada sempre unida em defesa do nosso Estado”, afirmou.

O deputado federal João Maia (PR) afirmou que “a bancada federal pode ajudar muito junto à União para o Estado fechar as contas do passado e equilibrar o presente”.

O deputado Eliéser Girão (PSL) disse que a bancada potiguar estará unida em Brasília. “A situação financeira de hoje gera instabilidade e o caos social. Com certeza estaremos somando esforços para a superação dos problemas. Se a união da bancada não funcionou no passado, 2019 será o ano e a hora dessa união. Não tenham dúvidas que o nosso trabalho será em prol do Rio Grande do Norte”, declarou.

Também estiveram no encontro a deputada Natália Bonavides (PT), o deputado Beto Rosado (PP), a senadora Zenaide Maia (PHS) e o senador Jean-Paul Prates (PT). Participaram da reunião ainda o vice-governador Antenor Roberto (PCdoB) e integrantes do Comitê Gestor - secretários de Estado do Gabinete Civil, Raimundo Alves, da Administração, Virgínia Ferreira, da Tributação, Carlos Eduardo Xavier, controlador geral, Pedro Lopes, procurador geral, Luiz Antonio Marinho.

IFRN Cidade Alta abre inscrições para oficinas de arte



O campus Cidade Alta do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) abriu inscrições para propostas de oficina de arte. O objetivo é de selecionar cinco propostas de ocupação artística a serem realizadas no campus entre março e dezembro de 2019.

O edital lançado teve as suas inscrições abertas no dia 7 de janeiro, com data para fechamento em 17 de fevereiro.

De acordo com o Instituto, será priorizado o trabalho de artistas e grupos atuantes no cenário artístico e cultural do estado. As propostas de pessoa física devem ser enquadradas em uma das categorias: transmissão de conhecimento e formação com ênfase em uma linguagem artística ou manifestação cultural. Não haverá recompensação salarial.

“O objetivo desse edital é dar uma chance para as pessoas que querem oferecer oficinas de arte e não têm um espaço ocuparem as salas de arte do campus”, diz Nara Pessoa, coordenadora do Núcleo de Artes do IFRN Cidade Alta.

As salas disponíveis para a realização das oficinas são as de teatro, dança, música e um ateliê de artes visuais. Segundo Nara, além de oferecer oportunidade para os artistas potiguares, o Instituto Federal também visa a estreitar a relação desse campus com a comunidade externa, oferecendo diversas oficinas para uma comunidade que normalmente não teria acesso devido a questões financeiras ou de localização.

As inscrições devem ser feitas, exclusivamente, pelo e-mail inscricoesnuartecal@gmail.com. Os seguintes documentos precisam estar anexados ao e-mail de inscrição: Formulário de solicitação de serviço voluntário (contido no Anexo I do Edital); Plano de trabalho (Referente ao Anexo II); Cópia legível de documento oficial com foto (RG, CNH ou Passaporte), CPF e cópia do comprovante de residência; e um Currículo do proponente e outros principais envolvidos no projeto.

FMI prevê PIB menor do Brasil em 2018, mas melhora projeção para 2019



O Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu sua estimativa de crescimento do Brasil em 2018, mas melhorou a estimativa para este ano. A informação foi divulgada no relatório Perspectiva Econômica Mundial, apresentada nesta segunda-feira (21) durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

Para 2018, o fundo passou a prever uma expansão de 1,3% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil – contra 1,4% projetados em outubro do ano passado. É a terceira vez seguida que o FMI piora a estimativa para a economia brasileira em 2018. O resultado oficial será conhecido no dia 28 de fevereiro, quando será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE).

Bolsonaro estreia nesta terça em eventos internacionais com discurso no fórum de Davos



Há 22 dias no comando do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro fará nesta terça-feira (22) sua estreia em um evento internacional, discursando na sessão plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O encontro anual dos mais ricos, poderosos e famosos do planeta começa nesta terça e se encerra na sexta-feira (25).

O fórum de Davos reúne políticos, investidores e outras lideranças com o objetivo de construir uma agenda econômica, regional e industrial em comum. O encontro deste ano tem como tema a "Globalização 4.0: Moldando uma arquitetura global na era da quarta revolução industrial".

De acordo com a assessoria do Planalto, o presidente brasileiro será o primeiro chefe de Estado latino-americano a discursar na abertura da sessão plenária do Fórum Econômico Mundial. A fala de Bolsonaro está prevista para ocorrer a partir das 12h30 (horário de Brasília).

Ao desembarcar nesta segunda-feira (21) em Davos, o presidente afirmou que fará um discurso "muito curto" e "objetivo" para dizer que o Brasil busca negócios "sem viés ideológico".

Bolsonaro e a comitiva brasileira devem retornar a Brasília na sexta-feira (25). Neste período em que o presidente está fora do país, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, está no comando do Planalto.

O presidente viajou à Suíça acompanhado do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e de cinco ministros:

Ernesto Araújo (Relações Exteriores)
Paulo Guedes (Economia)
Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública)
Gustavo Bebianno (Secretaria Geral da Presidência)
Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)

Jair Bolsonaro é o quinto presidente brasileiro a participar do Fórum Econômico Mundial desde 1998. Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (1998), Luiz Inácio Lula da Silva (2003, 2005 e 2007), Dilma Rousseff (2014) e Michel Temer (2018) estiveram no encontro durante seus mandatos.

Recados ao mundo
O presidente da República afirmou que deseja mostrar aos participantes do fórum econômico que o governo dele está adotando medidas para recuperar a "confiança" no Brasil, com negócios "sem viés ideológico".

“[O discurso] foi feito e corrigido por vários ministros para que déssemos o recado mais amplo possível sobre o novo Brasil que se apresenta com a nossa chegada ao poder”, declarou Bolsonaro aos jornalistas ao chegar a Davos.

Segundo o G1 apurou, Bolsonaro pretende usar a viagem à Suíça para defender a democracia e ressaltar a importância de aprovar reformas estruturantes no Brasil. Ele irá enfatizar à comunidade internacional que a aprovação de reformas, como a da Previdência, é essencial para o equilíbrio das contas públicas.

O presidente quer destacar ao mundo que o Brasil é um país favorável às privatizações e aberto a investimentos privados.

Regime Nicolás Maduro
A situação da Venezuela também está na pauta de Bolsonaro em Davos. O presidente deve participar na quarta-feira (23) de um "diálogo diplomático" que tem como objetivo discutir a “crise humanitária” no país sul-americano.

Na segunda-feira, Bolsonaro disse esperar que mude "rapidamente" o governo da Venezuela, comandado por Nicolás Maduro.

O brasileiro se reuniu na semana passada, em Brasília, com opositores de Maduro, a fim de aumentar a pressão contra o governo venezuelano. Maduro tomou posse em janeiro para um segundo mandato de cinco anos como presidente. Parte da comunidade internacional não reconhece o novo mandato do chefe de Estado venezuelano, e entre esses países está o Brasil.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

UFRN - Cadastro de vagas residuais segue até sexta-feira



A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza, até a próxima sexta-feira (18) o cadastro para ocupação de vagas residuais do período letivo de 2019.1. Os aprovados, dentro do número de vagas em qualquer curso ofertado, independentemente da cidade sede, devem comparecer das 8h às 11h e das 13h às 16h, no anfiteatro D da Escola de Ciência e Tecnologia (ECT).

Caso existam vagas não ocupadas após a conclusão da 1ª chamada, serão convocados os candidatos suplentes para o preenchimento das vagas remanescentes. O cadastramento dos candidatos da segunda chamada será nos dias 23 e 24 de janeiro, também no Anfiteatro D da Escola de Ciência e Tecnologia (ECT). Outras informações constam no edital de cadastramento e matrícula, disponível na página da Comperve. 

Prefeito de Carnaubais Participa de reunião da AMPETRO



O prefeito de Carnaubais, Dr. Thiago Meira, participou na tarde desta terça-feira (15), de reunião realizada pela AMPETRO, no hotel Thermas, em Mossoró.

Com o objetivo de discutir o Decreto que eleva o ICMS dos municípios produtores de Petróleo.

Na referida reunião estava presente o senador Jean Paul Prates, que também discutiu outros assuntos referentes à produção de petróleo e energias renováveis. Participaram do encontro os prefeitos: Dr Thiago Meira, Carnaubais;
José Maurício Filho, grossos;
Josinaldo Marcos de Souza (Naldinho),Tibal;
Túlio Lemos, Macau;
Flaudivan Martins Cabral, Pendencia;
Luiz Jairo, Upanema;
Hipoliton Sael Holanda Melo, Porto do Mangue.

Contando também com a presença do deputado Souza Neto e o ex-deputado Betinho Rosado representando o deputado Beto Rosado.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Empresas de SP liberam funcionários trocarem paletó e gravata por bermuda e camiseta por causa do calor



O calor costuma incomodar mais quem precisa trabalhar em um ambiente mais formal, com terno e gravata, por exemplo. Mas o verão mais intenso, com recorde de temperatura mais alta em São Paulo, fez com que fosse liberado o uso de bermuda, camiseta, tanto para homens como para mulheres.

Um desses lugares é a bolsa brasileira, a B3, no Centro de São Paulo. Aquela imagem de funcionários vestidos com formalidade absoluta ficou para trás. Hoje é mais comum ver pessoas transitando pelos corredores e mesas com bermuda e camiseta. As mulheres usando regatas, vestidos mais arejados e deixando de lado os terninhos.

"Hoje posso vir de vestido e tênis, calça jeans e tênis. Não aderi à bermuda porque eu acho que não fico bem em bermuda, mas resolvi aproveitar e pintar o cabelo, pois cabelo é tudo no verão", disse Nicole Barbosa de Miranda.

Para ela, roupa leve é sinônimo de disposição. "O calor é muito forte, a gente chega para trabalhar já desmaiando de calor. Agora a gente está alegre, bem mais motivado, a produtividade aumenta, estamos vindo trabalhar mais confortáveis. Para mim foi ótimo, estou muito feliz, agora posso mostrar as tatuagens, o cabelo roxo, só alegria", disse Nicole.

Clima de férias
"É uma sensação de liberdade, de que estou indo para um dia feliz, mais alegre e leve. Parece que estou de férias e estou indo para a empresa passar o dia", disse Raul Trineto, gerente de suporte comercial e negócios multinacionais da Metlife.

"Antes dessa liberdade no figurino ele trabalhava diariamente de terno de gravata. "Por estarmos sempre na rua, em visita a cliente vínhamos de camisa, terno, de maneira mais formal, agora eu venho de bermuda e camisa polo", disse Trineto.

Mesmo com a possibilidade mais descontraída, ambiente de trabalho não é o mesmo que praia, é preciso ter bom senso. "Tive de incluir no guarda-roupas umas bermudas mais alinhadas para vir trabalhar, não dá para vir de bermuda mais florida, bermuda de praia", brincou o gerente.

Secretaria de Segurança do RN anuncia investimentos de quase R$ 80 milhões



Nos próximos meses o Rio Grande do Norte receberá uma série de investimentos na Segurança Pública, através de um convênio firmado com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). A informação é da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed). De acordo com a pasta, será um total de R$ 79.973.763,73 milhões destinados para diversos setores e órgãos que fazem parte da segurança pública.

“O dinheiro já está empenhado e será depositado assim que fomos assinando os contratos. Os processos de licitação também já foram iniciados”, afirma o secretário de Segurança Pública, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva.

Para modernização dos sistemas utilizados no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), setor responsável pelo recebimento e monitoramento de ocorrências, foi destinado R$ 1.928.105,28 milhão. Já para Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) e o Centro de Inteligência da Sesed, o aporte foi, respectivamente, de R$ 5.092.927,38 milhões e R$ 2.877.717,48 milhões. O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) vai comprar um novo helicóptero e mais duas viaturas, somando R$ 21.777.286,93 milhões.

O restante dos recursos foi assim destinado:

Polícia Militar
Valor: R$ 29.977.330,89 milhões
Investimentos: 2 mil coletes balísticos; 179 viaturas; 1.306 armas; 80 escudos balísticos, entre outros equipamentos. 

Poícia Civil
Valor: R$ 12.209.780,77 milhões
Investimentos: 90 armas; 87 viaturas; 10 escudos balísticos; mais investimentos em tecnologia

Corpo de Bombeiros Militar
Valor: R$ 6.110.615,00 milhões
Investimentos: 16 viaturas

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Bolsonaro assina nesta terça-feira decreto sobre posse de armas, informa Casa Civil



A assessoria da Casa Civil da Presidência informou que o decreto que facilita posse de armas será assinado nesta terça-feira (16) pelo presidente Jair Bolsonaro em cerimônia no Palácio do Planalto.

A Casa Civil não divulgou o conteúdo do decreto, que após a assinatura será publicado no “Diário Oficial da União”.

Flexibilizar os critérios para manter uma arma em casa é uma das promessas de campanha de Bolsonaro. Quando ainda era candidato, ele afirmou em seu plano de governo que pretendia reformular o Estatuto do Desarmamento.

O direito à posse é a autorização para manter uma arma de fogo em casa. Para andar com a arma na rua, é preciso ter direito ao porte.

Segundo pesquisa do Instituto Datafolha divulgada em 31 de dezembro, 61% consideram que a posse de armas de fogo deve ser proibida por representar ameaça à vida de outras pessoas.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, chegou a comparar a posse de arma em casa à posse de um carro.

Segundo o futuro ministro, permitir que um cidadão possa dirigir nas ruas do país é comparável, em questão de responsabilidade, a autorizar alguém a manter uma arma em casa, em razão do perigo potencial que um veículo pode representar nas mãos de alguém sem habilitação.

Governo Bolsonaro exonera chefe do Inep nomeada por Temer



A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Estatísticas Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, foi exonerada nesta segunda-feira (14).

A exoneração foi publicada no "Diário Oficial da União" e é assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

No cargo desde maio de 2016, Maria Inês foi nomeada pelo então presidente Michel Temer, e o presidente Jair Bolsonaro já havia dito, ainda no ano passado, que trocaria o comando do órgão.

Vinculado ao Ministério da Educação, o Inep é o órgão responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em novembro, já como presidente eleito, Bolsonaro afirmou que, a partir deste ano, ele terá acesso ao conteúdo da prova do Enem antes de o exame ser aplicado.

Na ocasião, Bolsonaro disse ter tomado a decisão porque o Enem de 2018 abordou o "pajubá", conjunto de expressões associadas aos gays e aos travestis.

"Esta prova do Enem – vão falar que eu estou implicando, pelo amor de Deus –, este tema da linguagem particular daquelas pessoas, o que temos a ver com isso, meu Deus do céu? Quando a gente vai ver a tradução daquelas palavras, um absurdo, um absurdo! Vai obrigar a molecada a se interessar por isso agora para o Enem do ano que vem?", indagou Bolsonaro na ocasião.

"Podem ter certeza e ficar tranquilos. Não vai ter questão desta forma ano que vem, porque nós vamos tomar conhecimento da prova antes. Não vai ter isso daí", acrescentou.

Uma semana antes das declarações de Bolsonaro, Maria Inês Fini afirmou em entrevista ao G1 que o Enem "não é deste ou daquele governo", mas, sim, "do Brasil"