Featured Video

Páginas

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Minha Casa Minha Vida – Sonho ou Pesadelo?


O Programa Minha Casa Minha Vida – PMCMV, criado em março de 2009, na segunda gestão do então presidente, Luís Inácio Lula da Silva, com o objetivo de proporcionar a milhares de famílias brasileiras o sonho da casa própria, e que realmente oportunizou, para outras se tornou um pesadelo.

Carregado de forte apelo social/político, Minha Casa Minha Vida, como a maioria dos programas sociais brasileiros, é responsável por uma série de contratempos que, nesses mais de oito anos de existência, destruiu muitos sonhos.
  
Espalhados Brasil afora, milhares de famílias ainda esperam realizar o sonho da casa própria; outras já perderam as esperanças e outras tantas estão desesperadas com os problemas de construções irregulares.  

Enquanto isso, empresários – construtores, empreiteiras, fornecedores diversos, inclusive o setor cerâmicos em geral órgãos financeiros, em todo o país, vivem um verdadeiro dilema em função das diversas falhas do programa.

No Rio Grande do Norte, só no município de Parnamirim, mais de 1,264 famílias, entre inscritas e já selecionadas, esperam pela entrega de suas moradias.

Os motivos são inúmeros. Segundo o Ministério das Cidades, em todo o país, os atrasos nos repasses às construtoras, falências de empresas responsáveis pelas obras e regularização de documentos, mantem mais de 34 mil obras inacabadas.

Em Assú, no tocante às moradias para baixa renda, a situação é bem diferente. Os dois conjuntos residências destinados famílias enquadradas na faixa “baixa renda”, Irmã Lindalva e Maestro Cristóvão Dantas, construídos e entregues com sucesso.

Já quando se trata de unidades, com incentivos, destinadas a famílias enquadradas em outras faixas de renda, quadro atual se assemelha: construtores, ou aprendizes, falidos, fornecedores em dificuldades extremas, arquejando ou falidos; famílias aguardando suas casas e outras já sem esperanças. O que se pode chamar de verdadeiro pesadelo.

0 comentários:

Postar um comentário