Featured Video

Páginas

quarta-feira, 23 de março de 2016

Violência: Microrregião de Mossoró é a nona mais violenta do Brasil entre 2004 e 2014, diz pesquisa Ipea


Dados do Atlas da Violência 2016, divulgados nesta terça-feira, 22, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), aponta que a microrregião de Mossoró é a nona mais violenta do Brasil. Os números se referem a 2014.

Com uma população estimada de 363.615 habitantes, a região concentra o percentual de 71,5%. A metodologia discutida para chegar ao número foram as taxas bayesianas por 100 mil habitantes são médias ponderadas que levam em conta não apenas a incidência de homicídios em uma dada microrregião, mas também a incidência de homicídios nas localidades vizinhas, em que o peso da violência nas cidades vizinhas é tão menor quanto maior é a população na microrregião em que se está calculando a taxa.

Foto: Reprodução
Das 20 microrregiões mais violentas, 16 estão no Nordeste, que também possui sete entre as 20 mais pacíficas. Dentre as 20 microrregiões que apresentaram maior crescimento nas taxas de homicídios, 14 estão no Nordeste.

Os seis estados com crescimento superior a 100% nas taxas de homicídios pertencem ao Nordeste. Pernambuco destoou dos demais estados da região, ao registrar queda de 27,3% no número de homicídios. O Rio Grande do Norte teve aumento de 360,8% na taxa de homicídios em dez anos. Logo atrás vem Maranhão (209,4%) e Ceará (166,5%).

VEJA TAMBÉM:

Entre 2004 e 2014, a redução mais significativa da taxa foi observada em São Paulo (-65%), que tem quase 15 milhões de habitantes. Já o crescimento mais acelerado de homicídios foi observado em localidades interioranas, até pouco tempo atrás, bastante pacíficas. É o caso de Senhor do Bonfim (81 mil habitantes), na Bahia, que teve piora de 1.136,9% nos dados de violência, entre 2004 e 2014. Ainda assim, Senhor do Bonfim aparece com taxa de cerca de 18 homicídio por 100 mil habitantes, bem menor que a aglomeração urbana de São Luís (MA), com taxa de 84,9, primeira da lista das microrregiões mais violentas.

O resultado pode indicar, segundo a análise, “uma mudança no sinal da evolução dos homicídios no Brasil”, segundo a nota. Nos estados em que se verificou queda dos homicídios, o estudo identificou que políticas públicas qualitativamente consistentes foram adotadas, como no caso de São Paulo, Pernambuco, Espírito Santo e Rio de Janeiro.


Veja aqui publicação compelta do Atlas da Violência 2016

DeFato

0 comentários:

Postar um comentário