Featured Video

Páginas

quarta-feira, 2 de março de 2016

Eduardo Cunha - Conselho de Ética volta a analisar processo que pode cassar Cunha


O Conselho de Ética da Câmara se reuniu de novo nesta terça-feira (1º), pra discutir o processo contra o deputado Eduardo Cunha, do PMDB. E, mais uma vez, não votou o relatório que pede a continuidade das investigações.

Os deputados fizeram questão de lembrar: já são mais de quatro meses e nada. O Conselho de Ética não consegue votar se o processo contra Eduardo Cunha deve ou não seguir adiante. Ele é acusado de mentir aos colegas quando disse que não tinha contas no exterior. Nesta terça-feira (1º), teve de novo só muita discussão. Aliados do presidente da Câmara tentaram de tudo para adiar a sessão. 

O deputado Zé Geraldo, do PT, atacou. 
“O presidente Eduardo Cunha, ele poder para pagar tudo isso. Para poder pagar tudo isso. O deputado Manoel Junior agora vai presidir uma comissão especial poderosa. Porque ele é um dos defensores do Eduardo Cunha aqui”, afirma o deputado Zé Geraldo (PT-PA).

Foi uma confusão. O deputado Manoel Junior se defendeu.
“Esse parlamentar que vos fala é detentor de oito mandatos. Fui prefeito três vezes e tive todas as minhas contas aprovadas, nunca tive um processo sequer. Agora o cinismo de vossa excelência é estarrecedor”, diz o deputado Manoel Júnior (PMDB-PB).

A reunião do Conselho de Ética foi mais uma vez suspensa, quando o presidente Eduardo Cunha abriu a sessão no plenário. Já no Supremo Tribunal Federal, o ministro Teori Zavascki negou o pedido de Eduardo Cunha para adiar o julgamento marcado para esta quarta-feira (2), da aceitação da denúncia contra ele pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Cunha é acusado de receber cerca de US$ 5 milhões de propina da compra de navios sonda pelaPetrobras.

G1.Com

0 comentários:

Postar um comentário