Featured Video

Páginas

quarta-feira, 2 de março de 2016

Atibaia - Segurança da Presidência comprou pedalinhos de sítio, mostram notas


Notas fiscais mostram que um segurança da presidência da República comprou os pedalinhos pro sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. Os pedalinhos tinham marcados neles nomes iguais aos de dois netos do ex-presidente Lula.

Os dois pedalinhos estão no lago do sítio em Atibaia, que é frequentado pelo ex-presidente Lula. Nesta terça-feira (1º), o site O Antagonista teve acesso à nota fiscal da compra dos pedalinhos. O Jornal Nacional também conseguiu uma cópia do documento. A nota indica que os pedalinhos foram comprados no dia 19 de dezembro de 2013, numa fabricante de Minas Gerais.

Os pedalinhos custaram R$ 5,6 mil. O comprador: Edson Antonio Moura Pinto. O endereço de entrega é o mesmo do sítio em Atibaia.

Ao site O Antagonista, o dono da loja, José Reinaldo Ferreira da Silva, afirmou que Edson "ligou e encomendou os dois pedalinhos. E que depositou 50% para a fabricação e depois os outros 50% para a entrega. E foram os únicos pedalinhos que ele entregou em Atibaia".
José Reinaldo confirmou essas informações para a TV Globo. O nome de Edson aparece no portal da transparência do Governo Federal. Ele é subtenente do Exército e trabalha na segurança de ex-presidentes.

Edson Moura faz parte da equipe que acompanha o ex-presidente Lula. De 2012 até janeiro deste ano, o Portal da Transparência mostra que o subtenente recebeu pelo menos 120 diárias por viagens a Atibaia, onde fica o sítio Santa Bárbara.

A força-tarefa da Operação Lava Jato e o Ministério Público de São Paulo suspeitam que a reforma do sítio tenha sido paga por empreiteiras investigadas no escândalo de corrupção da Petrobras.

Em nota, o Instituto Lula declarou que os pedalinhos foram comprados por Dona Marisa e que eles ficam guardados no sítio porque não faz sentido levá-los para o apartamento do casal, em São Bernardo do Campo. O Instituto Lula reiterou, ainda, que o sítio não pertence ao ex-presidente nem à mulher dele. E que foi oferecido por amigos para que a família pudesse frequentar. 

As investigações sobre o sítio em Atibaia e um triplex no Guarujá foram alvo de um novo pedido da defesa do ex-presidente lula ao Supremo Tribunal Federal. Lula quer suspender as investigações em São Paulo e em Curitiba, alegando que elas tratam do mesmo fato. E pedindo para que ela seja feita apenas em São Paulo.

A defesa do ex-presidente Lula também apresentou resposta a pedido da Ministra Rosa Weber sobre um documento enviado pela força tarefa da Operação Lava Jato, com suspeitas de que Lula tenha recebido vantagens indevidas quando ainda era presidente. 
Na resposta, Lula disse que não há elementos concretos sobre a afirmação, que chamou de descabida e censurável.

Em outra frente de atuação, os advogados de Lula entraram com um recurso no Conselho Nacional do Ministério Público contra a investigação do Ministério Público Federal em Brasília que apura suposto tráfico de influência em contratos do BNDES. Os advogados pedem para ter acesso integral aos autos. Eles alegam que não tiveram acesso a documentos já divulgados para a imprensa.

G1.Com

0 comentários:

Postar um comentário