Featured Video

Páginas

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

RN irá a reunião com a TAM sem garantia de nova redução em preço do QAV


A audiência da manhã desta quarta-feira (16) entre representantes do Governo do Estado — entre eles o secretário de Turismo, Ruy Gaspar, e o presidente da Potigás, Carlos Alberto Borges Trindade Santos — com diretores da Petrobras para tratar de possível redução no preço da distribuição do querosene de aviação (QAV) não trouxe, por enquanto, aceno de que o pleito seja atendido pela estatal.

O secretário Ruy Gaspar ressaltou a importância do encontro, no Rio de Janeiro, para reforçar o regime de parceria entre a Petrobras e o Governo em projetos de interesse do Rio Grande do Norte. O pleito de ter da petrolífera um custo menor quanto ao QAV é, para o governo, parte da estratégia de gerar condições favoráveis na disputa pelo hub da TAM Linhas Aéreas planejado para a região Nordeste.
Júnior Santos
RN busca redução em preço do QAV para atrair hub da LATAM para o estado
RN busca redução em preço do QAV para atrair hub da LATAM para o estado
"Conversamos com o gerente de abastecimento e o da BR Distribuidora sobre a importância da manutenção dessa parceria. E eles disseram que a empresa trabalha em projeto próprio com objetivo de duplicar a produção de Querosene de Aviação na refinaria Clara Camarão [em Guamaré-RN]", afirmou o secretário, um dia antes do encontro entre ministros, governadores e representantes da TAM para a apresentação dos relatórios técnicos das visitas realizadas nas cidades que buscam sediar o hub.

Em entrevista à Tribuna do Norte, o economista, mestre em Economia da Energia pelo Instituto Francês do Petróleo e presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), Jean-Paul Prates, disse que o Rio Grande do Norte, na busca por uma eventual redução no preço do combustível, teria que apresentar argumentos logísticos e comerciais à Petrobras para convencê-la da viabilidade de reduzir o valor do querosene de aviação (QAV) no Estado. 

Prates defende que, se o Rio Grande do Norte pretende agregar esse desconto como vantagem nessa queda de braço com Pernambuco e Ceará, seria preponderante trabalhar o aspecto da logística, com o fato da refinaria Clara Camarão estar mais próxima do Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves. Quanto ao setor comercial, seria argumentar que, se a TAM vier para Natal, vai implicar em uma compra de QAV agregado de um valor razoável de litros, que poderia corresponder a um contrato específico, com eventual desconto por quantidade. Uma negociação com vista à redução do QAV, segundo ele, ocorre necessariamente pela cúpula da estatal e precisa estar fundamentada. 

"O acionista vai querer saber o porquê da eventual concessão, e quais as vantagens para a empresa", disse Jean-Paul Prates há cerca de um mês, quando as autoridades locais lançaram à mesa de discussões essa ideia.

O governo busca um abatimento de 8% a 10% no valor do combustível vendido para as companhias. Amanhã (17), a diretoria da TAM recebe representantes do RN, Ceará e Pernambuco individualmente para apresentar o resultado de um estudo sobre as perspectivas econômicas do investimento. O governador Robinson Faria deve ser recebido às 15h30, logo após o chefe do Executivo do estado de Pernambuco, Paulo Henrique Saraiva Câmara.

Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário