Featured Video

Páginas

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Poços: apenas 30% garantem água


Dos 300 poços abertos pelo Governo do Estado de fevereiro a agosto, apenas 30% têm vazão suficiente para serem utilizados de alguma forma no abastecimento de água no interior do Rio Grande do Norte. A informação é do secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, José Mairton de França. “Dada a vazão de 200 litros por hora a gente já tem colocado em uso. Abaixo disso não é adequado, porque o poço é considerado seco”, acrescentou. Na região Seridó, o governo perfurou 70 poços.Ascom/Caern
Carretas-pipa começaram a levar água captada da adutora Serra de Santana para Currais NovosCarretas-pipa começaram a levar água captada da adutora Serra de Santana para Currais Novos 

A equipe de geólogos da Semarh já realizou a locação de 420 poços, sendo 250 no Alto Oeste e 170 no Seridó. Na cidade de Acari (11 mil habitantes segundo estimativa do IBGE), uma das que está em colapso na região,  12 poços foram perfurados, mas só sete registraram vazão adequada. Segundo o titular da Semarh, esse aproveitamento é baixo em função do rebaixamento do lençol freático que está há quatro anos sem receber água no volume adequado. Em muitos casos, é necessário que a água passe por dessalinizadores para que seja própria para o consumo humano. O governo, tem 136 dessalinizadores instalados no Estado com essa finalidade. 

Todos os poços perfurados pela Semarh devem fornecer água de forma gratuita. A única exceção diz respeito aos poços que são reativados por sistemas autônomos  de abastecimento e pela Caern. “A companhia pode cobrar pelo fato de ela fazer o tratamento de água”, acrescentou França. Em Acari, a prefeitura será a responsável pelo fornecimento de água à população. 

Segundo Mairton de França, o número de poços é maior na região Oeste do Estado, tendo em vista que tem situação mais crítica, com 10 municípios em colapso no abastecimento d’água. “Agora que a sitaução do Seridó está se agravando, vamos intensificar as ações nessa região”, afirma o secretário.   

Demanda d'água
Caicó
536.799 metros cúbicos/mês
Currais Novos
197.997 metros cúbicos/mês
Carnaúba dos Dantas
26.316 metros cúbicos/mês
Acari
66.973 metros cúbicos/mês
Poços
300 poços perfurados entre fevereiro e agosto deste ano
Dessalinizadores
136 instalados
31 recuperados ou em fase de recuperação
38 programados para instalação

Fonte: Caern/Semarh

Currais Novos 
De acordo com o professor da área de recursos hídricos da UFRN, João Abner, os poços devem ser usados como uma fonte de água auxiliar. “Essa perfuração é mais complementar. As águas de poços é mais para serviços”, informou. Na sua avaliação, os demais municípios poderiam seguir o exemplo de Currais Novos (49 mil habitantes), que está trazendo água da adutora Serra de Santana em Florânia.

As primeiras carretas-pipa trazendo água captada da adutora começaram a encher os reservatórios da “Estação Dourado” da Companhia de Abastecimento e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern) de Currais Novos na manhã de ontem (09), água que após preencher os tanques será bombeada para a caixa  da Avenida Getúlio Vargas que iniciará a distribuição de forma racionada. As carretas-pipa farão cerca de 20 viagens por dia para transportar 1 milhão de litros de água tratada, o que corresponde a 30% da oferta diária ofertada em período normal - 3 milhões de litros por dia. 

A Prefeitura de Currais Novos está disponibilizando chafarizes em doze pontos da cidade para que a população tenha acesso a água para fins domésticos. Outras localidades deverão receber chafarizes em breve, assim como alguns chafarizes já instalados deverão iniciar a operação o quanto antes. A prefeitura está orientando a população a economizar a pouca água disponível. 

“Gostaria que esse modelo fosse um laboratório que se aproveitasse em outros municípios. Até porque sair do sistema da Caern é o caos”, disse. Segundo o professor, que prestou consultoria voluntária à Caern, o esquema deve custar R$ 250 mil mensalmente para a Caern. A população pagará a conta de água com tarifa normal.

Em tempos normais, segundo ele, o faturamento da Companhia chega de R$ 600 mil. “Caso a Caern declarasse falência do sistema de abastecimento, o faturamento dela seria zero”, disse. Com o início dos abastecimento da Estação Dourado, até sexta-feira o sistema já deve ter pressão suficiente para começar a chegar nas torneiras dos habitantes das zona urbana. Abner lembrou também que a alternativa reativará o rodízio de 12 horas de água para cada um dos seis setores da cidade.

Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário