Featured Video

Páginas

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Feira espera R$ 3 milhões em negócios para o turismo rural


Considerado o maior evento do setor, a 11ª edição da Feira de Turismo Rural 2015 (Ruraltur) será aberta ao público nesta quarta-feira (26), às 16h, na Arena das Dunas, em Natal (RN). A entrada será pelo portão 3D, mais próximo à avenida Prudente de Morais. São esperados mais de dois mil visitantes por dia, vindos de todos os estados brasileiros, já que, a partir desta edição, a feira entrou no calendário nacional. 

A expectativa de negócio durante e após o evento é de aproximadamente R$ 3 milhões, que devem ser gerados pelas negociações na rodada de negócios e na sessão de negócios, na comercialização de pacotes e destinos turísticos e venda de produtos e serviços voltados para essa cadeia produtiva.

A solenidade de abertura oficial está prevista para as 19h e terá a presença do governador Robinson Faria, dos dirigentes do Sebrae no Rio Grande do Norte e da diretora técnica do Sebrae Nacional, Heloisa Menezes. A executiva deve apresentar, em Natal, os investimentos do sistema na capacitação dos donos de empreendimentos envolvidos com o turismo rural. A previsão é de que sejam investidos mais R$ 6 milhões até o fim do ano em cursos e oficinas para cerca de mil empreendedores de todo o Brasil que atuam nesse ramo, que é considerado prioritário dentro da carteira de turismo do Sebrae.

Isso porque o turismo rural é considerado a principal alternativa para aumentar a renda dos produtores, ao abrir a propriedade para visitação, e também ampliar o tempo de permanência dos turistas em determinados destinos.

O setor, porém, passa por entraves legais que inibem a possibilidade de expansão da maioria das propriedades. Um deles é a permissão para que o produtor rural tenha um empregado com carteira assinada, situação que atualmente é proibida. Além disso, também não é legalmente permitido o funcionamento de um empreendimento regularizado dentro de uma propriedade rural.  Um Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados tenta sanar essas questões.

Mas, enquanto não o projeto não é aprovado e sancionado, ambas situações continuam tornando a atividade inviável e, de certa forma, acabam contribuindo para a informalidade, segundo o Sebrae. A atividade é apontada como saída para a interiorização do turismo no interior do país, que tem um potencial ainda pouco explorado. No RN, há roteiros que começam a se consolidar. Os principais serão apresentados na Ruraltur a representantes de operadoras e agências de turismo.

Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário