Featured Video

Páginas

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Turismo: Viajantes mudam hábitos, mas não deixam de desbravar o mundo


Destino: Buenos Aires. A cidade, capital da Argentina, é umas das mais procuradas por viajantes potiguares em férias no exterior, mas, com a desaceleração da economia, que tem reduzido o emprego e retraído o consumo no Brasil, os hábitos dos turistas já não são como antes. “Achávamos que muita gente ia deixar de viajar, mas as viagens estão acontecendo. Só que muita gente que ficava em hotel 5 estrelas, por exemplo, opta agora por um 4 e assim vai. Os turistas também estão comprando menos”, diz a supervisora da Agência Michelle Tour, com sede em Natal, Thenúzia Brito.Renata Moura
A Casa Rosada, em Buenos Aires é sede do governo argentino e um dos pontos turísticos da cidade
A Casa Rosada, em Buenos Aires é sede do governo argentino e um dos pontos turísticos da cidade

A inflação argentina também contribuiu para inibir os viajantes. Só no ano passado, o índice teria ficado entre 35% e 39%, segundo estimativas de consultorias privadas. Esse seria o maior patamar desde que Néstor Kirchner, marido da atual presidente, Cristina, assumiu a presidência, em 2003. O cenário acabou afetando o turismo e restringiu a “alta estação”.

Julho, período de inverno com temperaturas comumente na casa dos 7 graus, é o mês mais forte em fluxo de visitantes em Buenos Aires. Mas nem sempre foi assim. “Até 2013 havia turismo o ano inteiro. Não tinha uma temporada marcada”, afirma Gian Carlo Perez, supervisor do tipgroup, que faz receptivos para a operadora CVC, na cidade. A conjuntura política do Brasil e da Argentina, afirma ele, ajuda a explicar o quadro. “Hoje, Buenos Aires não é mais um destino de compras. É um destino cultural”, diz a acrescenta: “Antes, o turista não queria saber da cidade, do país, queria saber onde é o outlet. Hoje mudou. Ele quer conhecer tudo e quer se misturar com as pessoas”.
Reprodução/TV Ponta Negra
Gian Carlo Perez, supervisor do tipgroup
Gian Carlo Perez, supervisor do tipgroup 
A capital argentina liderou o ranking de destinos internacionais mais procurados na CVC durante quase 20 anos. Em 2014, foi ultrapassado por Miami e Orlando, nos Estados Unidos, e não recuperou a primeira posição. Apesar da alta do dólar,  companhias aéreas e hotéis têm conseguido atrair mais turistas para destinos norte-americanos.

Para atrair mais brasileiros, a Argentina teria de fazer uma ação parecida, segundo os empresários argentinos Juan Matias e Paula Aguirre, que mantém uma empresa de receptivo em Buenos Aires – a Kerentravel - com 60% do público formado por brasileiros. “É preciso gerar ofertas tentadoras, já que tivemos uma inflação muito alta e isso reduziu o fluxo de passageiros”, dizem.

Potiguares
O Rio Grande do Norte é o quarto estado do Nordeste que mais embarca passageiros para a Argentina, atrás de Pernambuco, Bahia e Ceará, de acordo com levantamento da operadora de turismo CVC. O cenário considera apenas informações da operadora.

“O Nordeste representa 17% de todos os embarques da CVC em 2015 para a Argentina, comparado às outras regiões, o que o coloca em segundo lugar (atrás do Sudeste). E o Rio Grande do Norte responde por 11% do total de embarques da região”, afirma.

A viagem dura cerca de 5 horas e 30 minutos, em voo direto (da companhia aérea GOL). Há outras opções de voos, com escalas, disponíveis (GOL e TAM).
A jornalista viajou à convite da GOL.
Ana Paula Fernandes, 27: Primeira viagem internacional foi realizada sábado (4) para Buenos Aires - Foto:Renata Moura






















    Frio
    Os brasileiros procuram a Argentina em busca de frio nessa época do ano e os argentinos, na outra ponta, viajam para o Brasil e outros destinos de olho em praias e no calor. No primeiro domingo de julho, quem desembarcou em Buenos Aires, por exemplo, enfrentou uma temperatura na casa dos 7 graus. Pelas ruas, casacos, cachecóis, toucas e luvas são comuns nesse período.

    Câmbio
    Apesar de as compras estarem mais caras na Argentina, o Real permanece mais forte que o Peso – a moeda oficial do país. Muitas lojas, restaurantes e outros estabelecimentos aceitam O Real. Mas é preciso ter atenção redobrada. Guias alertam que há taxistas que trocam as cédulas do turista por notas falsas sem que ele perceba. Quem quer fazer o câmbio também deve ter cuidado e evitar realizar essa operação na rua, onde homens e mulheres são vistos por todos os lados gritando “câmbio”, para atrair viajantes.

    Gorjetas
    São comuns em bares e restaurantes, por exemplo.

    Artistas de rua
    Na Rua Caminito, um dos principais pontos turísticos de Buenos Aires, é comum encontrar artistas de rua, entre dançarinos de tango e até um sósia do jogador de futebol Diego Maradona, em meio às casas coloridas. Eles são uma atração à parte e cobram por fotos que insistem em tirar com os turistas.

    ATRAÇÕES IMPERDÍVEIS
    (Algumas das principais, com dicas da CVC e do Tipgroup)

    *Shows de tango: seja em espetáculos super produzidos, como o do Señor Tango, seja em ambientes frequentados pela população local. Há mais de 100 casas de tango apenas em Buenos Aires, diz Gian Carlo Perez, supervisor de receptivo do tipgroup.

    *Livraria Ateneo: É um antigo teatro que foi transformado em livraria, hoje considerada uma das mais bonitas do mundo. Os camarotes viraram salas de leitura.

    *Temaiken: É um bioparque a cerca de 50 quilômetros de Buenos Aires. Integra Jardim Botânico, Zoológico, Aquário e Museu de História Natural e Antropologia. Possui diversos animais silvestres, além de ensinar seus visitantes sobre a fauna, os habitats e a história natural da Argentina.

    *Plaza de Mayo: É a praça mais antiga de Buenos Aires. Foi fundada em 1580 e fica no centro da cidade, rodeada por edifícios, como a Casa Rosada (sede do governo argentino), o Cabildo (com torre que possui um relógio trazido da Espanha) e a Catedral Metropolitana (onde o papa Francisco foi arcebispo e onde estão guardados os restos mortais do general San Martín, herói da independência argentina).

    *Puerto Madero: É um porto que foi restaurado e se transformou em uma área de restaurantes e bares. Na região, é possível visitar o museu dentro da Fragata Sarmiento. Outro ponto turístico muito famoso é a Puente de la Mujer (Ponte da Mulher). A ponte gira 90 graus para permitir a passagem dos navios.

    *La Boca: É o bairro onde estão as casas coloridas da rua El Caminito. Além das casas e dos artistas de rua, é possível ver diversos bares e restaurantes, além de lojas que vendem desde souvenirs e alfajores, até roupas e sapatos. Também está nas proximidades o estádio La Bombonera, doBoca Juniors.

    *Monumentos: Há diversos espalhados pela cidade. Entre eles, o Obelisco, Localizado entre as principais vias de Buenos Aires, a avenida 9 de Julho e a rua Corrientes,  e a Floralis Generica, uma flor gigante de aço que abre as pétalas durante o dia e as fecha à noite.

    Tribuna do Norte

    0 comentários:

    Postar um comentário