Featured Video

Páginas

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Temer diz que Levy deve ser tratado como 'Cristo' após ajuste fiscal


Filipe Matoso Do G1, em Brasília

Diante das constantes críticas da base governista e da oposição à atual política econômica, o vice-presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta segunda-feira (8) que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deveria ser tratado como "Jesus Cristo", que foi crucificado, mas obteve posteriormente uma "vitória extraordinária". Na visão do peemedebista, que coordena a articulação política do Palácio do Planalto, o titular da Fazenda não pode ser tratado como um "Judas".

Levy passou a ser alvo de questionamentos – especialmente de integrantes do PT – depois que propôs um pacote de ajuste fiscal para tentar reduzir gastos e reequilibrar as contas da União. Entre essas iniciativas estão medidas provisórias e projetos de lei que, entre outros pontos, alteram o acesso da população a benefícios trabalhistas e modificam a desoneração da folha de pagamento das empresas.

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo” publicada nesta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou que Levy não pode ser tratado como “Judas”.

 “Ele [Levy] tem que ser tratado como Cristo, que sofreu muito, foi crucificado, mas teve uma vitória extraordinária e que deixou um exemplo magnífico e extraordinário para todo o mundo. Penso que o ajuste fiscal que o Levy está levando adiante vai representar isso. Em um primeiro momento, parece uma coisa difícil, complicada, mas que vai dar os melhores resultados [para o país]. Menos Judas e muito mais Cristo”, disse o vice-presidente.

No mês passado, ao comentar críticas públicas de senadores do PT à condução da atual política econômica, a própria presidente da República saiu em defesa de Levy e afirmou que o ministro é uma pessoa “de confiança” dela e permanecerá no governo.

Ao chegar ao Palácio do Planalto, Temer afirmou que se reunirá, ainda nesta segunda, com  Levy, com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e líderes da base aliada no Senado para discutir a pauta de votações na Casa. Entre os projetos que devem ser analisados nesta semana está a MP 670, que reajusta a tabela do Imposto de Renda.

Nos últimos meses, Temer tem se reunido com ministros da equipe econômica, da coordenação política e com líderes da base aliada para articular votações de projetos de  interesse do Executivo.

Segundo o vice-presidente, ainda nesta semana, ele se reunirá com líderes da base na Câmara dos Deputados para definir a votação do projeto de lei que altera a desoneração da folha de pagamento das empresas, outro item do pacote de ajuste fiscal do governo federal.

0 comentários:

Postar um comentário