Featured Video

Páginas

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Veja características do navio-plataforma Cidade de São Mateus


Do G1, em São Paulo
O navio-plataforma Cidade de São Mateus é uma unidade do tipo FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo). A embarcação é de propriedade da empresa norueguesa BW Offshore e presta serviços para a Petrobras na costa do Espírito Santo desde 2009.

Nesta quarta-feira (11), uma explosão a bordo do navio deixou 3 mortos e 10 feridos no litoral Norte do Espírito Santo. Outros 6 estão desaparecidos. As operações da plataforma foram interrompidas.

A unidade foi alugada pela Petrobras e opera no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no litoral do Espírito Santo, a cerca de 120 km da costa. Segudo a Petrobras, a produção de gás é escoada por duto para terra.

O navio-plataforma foi o primeiro para gás instalado no Brasil e tem capacidade para processar 10 milhões de metros cúbicos de gás e 35 mil barris de óleo por dia.

A plataforma tem foco maior na produção de gás. Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), a FPSO São Mateus produzia 2,250 milhões de metros cúbicos de gás/por dia e 350 metros cúbicos de óleo/por dia.

O volume produzido pela FPSO Cidade de São Mateus representa menos de 3% da produção total de gás da Petrobras em dezembro, que atingiu ao todo naquele mês 84,5 milhões de metros cúbicos/dia.

No caso da produção de petróleo, o volume produzido pela FPSO é ínfimo perto do total produzido pela Petrobras em dezembro, de mais de 2,212 milhões de barris/dia.

A BW Offshore informa em seu site que a FPSO Cidade de São Mateus tem capacidade de produção de 25 mil barris por dia. O contrato da empresa com a Petrobras tem duração até 2018.

A ANP informou que o navio recebeu declaração de conformidade da Marinha em 2015 e que a agência fez uma atualização de documentação marítima em setembro de 2014.

A concessão de Camarupim é operada pela Petrobras (100%) e a de Camarupim Norte é uma parceria entre a Petrobras (65%) e a empresa Ouro Preto Energia (35%).

0 comentários:

Postar um comentário