Featured Video

Páginas

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Petrobras tem nota de crédito rebaixa pela agencia Fitchda e a perspectiva é negativa


Do G1, em São Paulo

A agência de classificação de riscos Fitch rebaixou nesta terça-feira (3) os ratings da dívida da Petrobras em moeda estrangeira e local para "BBB-" ante "BBB", e simultaneamente colocou a petroleira em perspectiva negativa.

Segundo a Fitch, o rebaixamento dos ratings daPetrobras afeta cerca de US$ 50 bilhões em dívidas da empresa.

A agência destacou que o rebaixamento reflete incertezas crescentes e prolongadas sobre capacidade da empresa de estimar e registrar baixas contábeis de maneira apropriada, em meio a denúncias de que os ativos teriam sido sobrevalorizados por atos de corrupção.

A Fitch também quesiona a capacidade da empresa de divulgar  os dados contábeis anuais auditados após o prazo determinado de 120 após o fim do período a ser reportado, além de 60 dias de um período de carência. Sem os dados auditados, a companhia perde acesso aos mercados capitais de dívida.

Na quinta-feira (29), a empresa já havia tido suas notas de crédito reduzidas por outra agência de risco, a Moody's. A Moody's rebaixou todos os ratings da Petrobras, citando preocupações com investigações sobre corrupção na estatal e possível pressão sobre a liquidez da companhia em função de atraso na divulgação de resultados financeiros auditados. Segundo a Moody's, os ratings permanecem em revisão para rebaixamento adicional.

A avaliação de risco é um sistema de nota desenvolvido por agências de análise de riscos para alertar os investidores de todo o mundo sobre os perigos do mercado ou da empresa que eles escolhem para aplicar seu dinheiro.Entenda como funciona.

Balanço divulgado sem auditoria e com atraso
A Petrobras divulgou na madrugada  do dia 28 de janeiro, depois de dois adiamentos, o balanço do terceiro trimestre da companhia. O documento, no entanto, não traz as perdas esperadas por conta das denúncias de corrupção na estatal investigadas na Operação Lava Jato, conforme era esperado pelo mercado.

De acordo com o balanço, que não tem o aval da auditoria independente PwC, a petroleira teve lucro líquido de R$ 3,087 bilhões no terceiro trimestre do ano passado. O valor representa uma queda de 38% em relação ao trimestre anterior em 2014, "refletindo o menor lucro operacional", segundo a Petrobras.

0 comentários:

Postar um comentário