Featured Video

Páginas

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Na Assembleia, Ezequiel faz pronunciamento e se defende de acusações


O deputado Ezequiel Ferreira de Souza, denunciado pelo Ministério Público por suposta participação no esquema criminoso investigado pela operação Sinal Fechado, usou a tribuna da Assembleia Legislativa para se defender das acusações. Na manhã desta terça-feira (24), o presidente da Assembleia negou as acusações de George Olímpio e garantiu que a dispensa de tramitação é uma atividade corriqueira no Legislativo.Magnus Nascimento
Deputado Ezequiel disse estar sendo injustiçado durante depoimento na manhã desta terça-feiraDeputado Ezequiel disse estar sendo injustiçado durante depoimento na manhã desta terça-feira
No pronunciamento, Ezequiel confirmou que teve encontros com George Olímpio. No entanto, segundo Ezequiel, os encontros para tratar da tramitação do projeto que tratava sobre a inspeção veicular ocorreram sem a promessa de vantagens. 

"Ao longo dos meus mandatos, recebo e continuarei a receber todos os conterrâneos que têm pleitos legítimos e que dependam da provação da Assembleia. Defendo causas de interesses da sociedade, grupos diversos, trabalhadores, sindicatos e empresários", disse Ezequiel Ferreira.

O parlamentar citou como exemplos recentes de projetos que tiveram a dispensa de tramitação a autorização de empréstimo por parte do Governo do Estado, o aumento nos salários dos professores e até a criação de cargos dentro do próprio Ministério Público. Segundo o deputado, em nenhum dos casos houve ilação sobre recebimento de propina para a aprovação da matéria. "São procedimentos normais e rotineiros", disse.

De acordo com o parlamentar, apesar dos apelos de George Olímpio, a dispensa da tramitação teve apoio unânime dos deputados após um ofício do Ministério Público, assinado pela promotora Rossana Sudário, em que foi ressaltada a importância da inspeção veicular.

"Depois do pedido explícito e formal do MP, de audiências públicas, surgiria a dispensa de tramitação, o que foi acolhido pelo colégio de Líderes. Só as mentes que creem no fantástico podem supor que para isso um deputado, somente um, tivesse recebido dinheiro. Para quê? Para cumprir a rotina que a AL costuma cumprir?", questionou Ezequiel. Só essa lei precisou ser comprada? É Fantástico", questionou o deputado, que foi aparteado e recebeu o apoio de diversos deputados.

Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário