Featured Video

Páginas

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

BNB quer emprestar R$ 80 milhões a mais no estado


O Banco do Nordeste anunciou ontem a expectativa de emprestar R$ 80 milhões a mais ao longo deste ano aos seus clientes no Rio Grande do Norte. O volume é 5% superior ao total desembolsado na economia potiguar no ano passado, fechado em aproximadamente R$ 1,6 bilhão e diluído em 303 mil operações de crédito. A monta é semelhante ao  total negociado em 2013 e se manteve estável nos últimos cinco anos, segundo dados do banco. O balanço anual da instituição foi apresentado ontem à imprensa pelo presidente, Nelson Antônio de Souza, e pelo superintendente no Rio Grande do Norte, José Mendes Batista.Jean Fábio
O presidente do BNB (na tela, à esquerda) e o superintendente (à direita) apresentaram números
O presidente do BNB (na tela, à esquerda) e o superintendente (à direita) apresentaram números 
“Estamos numa posição satisfatória em relação aos demais estados brasileiros do porte do Rio Grande do Norte nos quais atua o Banco do Nordeste. Mantemos a previsão de crescimento para este ano em 5% e não vemos nada de restritivo em relação às ações que são desenvolvidas pelo banco por causa da nova política econômica”, avaliou o superintendente José Mendes Batista, que recentemente assumiu o cargo. Mesmo diante de um ano de incertezas para a economia brasileira, com ampliação das taxas de juros, imposição de novos tributos e arrocho salarial, o Banco do Nordeste vislumbra crescimento, principalmente, nos setores de Comércio e Serviços.

No balanço nacional, a instituição destinou R$ 15,3 bilhões em aplicações de pequenos empreendedores dessas duas atividades. Em relação aos empréstimos industriais, a monta girou em torno de R$ 6,7 bilhões e, para o homem do campo, as contratações de créditos somaram R$ 5,3 bilhões.


Questionado se o Banco tinha interesse em explorar o mercado de financiamento imobiliário, o superintendente no Rio Grande do Norte assegurou negativamente. “Não temos como abrigar mais este setor. Não temos interesse, na verdade”, disse José Mendes Batista. Nacionalmente, a Caixa Econômica Federal lidera os financiamentos de imóveis com mais de 70% do mercado, seguido do Banco do Brasil.

Perfil
Um dado interessante no que tange ao perfil do público tomador de empréstimo no Rio Grande do Norte junto ao Banco do Nordeste é que 60% são beneficiados com o Programa Bolsa Família, do Governo Federal. Conforme esclarecido por José Mendes Batista, são pequenos produtores rurais ou comerciantes de áreas urbanas que complementam a renda com pequenos empreendimentos comerciais mas que, ainda assim, dependem da ajuda governamental. “A saída do Bolsa Família tem que ser consciente e natural. Tem que ter educação financeira e entregar o cartão do Programa de forma voluntária e natural”, destacou.

Questionado sobre o índice de inadimplência registrado pelo banco ao longo do ano passado no estado, o superintendente frisou que foi baixo e deverá se perpetuar ao longo deste ano. “Não há nada que indique que teremos uma inadimplência maior ou menor esse ano. O índice deve se manter”, atestou Batista.

Conforme dados nacionais, a média de devedores do Banco do Nordeste ficou em 2,9%, abaixo do registrado no mercado em geral. O presidente da instituição, Nelson Antônio de Souza, disse que todos os devedores são cobrados e, em três anos, o banco recuperou mais de R$ 5 milhões em títulos que não haviam sido pagos. “Nós estamos sendo implacáveis em relação aos devedores. Nós cobramos mesmo e isso resultou, inclusive, no aumento do patrimônio líquido do banco”, asseverou.

Comparativo
Veja os números apresentados pelo Banco do Nordeste nos balanços de 2013 e 2014, no RN. O volume total de crédito é basicamente o mesmo, mas diluído num número maior de operações.

Números 2014
R$ 1,6 bilhão aplicado; 303 mil operações de crédito.

R$ 901,9 milhões destinados ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE); 27,4 mil operações de crédito.

R$ 291 milhões aplicados em operações de crédito com micro e pequenas empresas; 10,8 mil operações de crédito.

R$ 432,6 milhões contratados através do Crediamigo; 221,8 mil operações de crédito.

R$ 88,1 milhões em recursos emprestados através do Agroamigo; 22,3 mil operações de crédito.

Números 2013
R$ 1,6 bilhão aplicado.

R$ 799,4 milhões destinados ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

R$ 284,5 milhões aplicados em operações de crédito com micro e pequenas empresas.

R$ 343,3 milhões contratados através do Crediamigo.

R$ 72,5 milhões em recursos emprestados através do Agroamigo

Fontes: Banco do Nordeste (Balanços 2013 e 2014).

0 comentários:

Postar um comentário