Featured Video

Páginas

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Vídeos com ameaças a coordenador da Lei Seca serão apurados; PM se diz tranquilo


As frequentes fiscalizações da Operação Lei Seca em Natal seguem dando o que falar. Desta vez, dois vídeos com ameaças ao tenente da Polícia Militar Styvenson Valentim tornaram-se 'virais' nas redes sociais. Em ambos os casos, as pessoas mostram os rostos e dizem que passarão pelas fiscalizações mesmo após ingerir bebidas alcoólicas e que estão dispostas a atropelar e matar o tenente Styvenson. O PM disse que a ameaça foi diferente e que a situação será apurada.Reprodução
Dois vídeos com ameaças ao tenente Styvenson Valentim tornaram-se virais nas redes sociais
Em um dos vídeos, o homem, que aparenta ter entre 30 e 35 anos, aparece com uma garrafa de cerveja e afirmando que está na praia de Búzios, no litoral sul do estado. Xingando o PM, ele diz que matará o tenente Styvenson se o policial estiver no posto de fiscalização de Pium no momento da volta.

"Eu quero dar cinco tiros na cara daquele vagabundo. Tenente Styvenson, comigo você pega em m..., seu filho de r...", disse o homem que aparece no vídeo.

No outro vídeo que também se tornou viral, dois homens aparecem conversando enquanto o motorista diz que vai dar um soco no policial militar. "Vamos ver se ele prende nós. Vamos passar o carro por cima da perna dele. Homem é nós", disse, afirmando ainda que estava armado.

Após ver os vídeos, tenente Styvenson afirmou que é acostumado a receber ameaças através de telefonemas e mensagens, mas que foi a primeira vez que viu pessoas mostrando o rosto e fazendo esse tipo de insultos a um policial militar. "Essa ameaça foi diferente. Eles mexeram não só comigo, mas com a instituição também", disse o PM.

O policial criticou a forma como declarações irresponsáveis são propagadas pela população, principalmente devido aos recentes casos de violência contra policiais. Segundo ele, os vídeos não se justificariam nem no caso de "deficiência mental" por parte dos homens que aparecem nas imagens.

"Se foi brincadeira, foi de muito mau gosto. Se foi sério, pior ainda. Eu não sou sozinho na polícia. Comigo é tranquilo, mas tenho certeza de que eles não teriam coragem de falar isso ao encontrar comigo em uma fiscalização. Minha vida segue normalmente", disse o policial.

Apesar do conteúdo das imagens, o PM disse que vai avaliar o que fazer e se prestará queixa contra as pessoas que aparecem nos vídeos. Porém, garantiu que nada mudou em sua vida, a não ser a forma como serão as fiscalizações da Lei Seca mais adiante. 

"Odeio ameaças, assim como todo mundo. Pode ser que eu vá à delegacia prestar queixa. Não sei ainda. Mas para esse tipo de pessoa, o que era uma fiscalização intensa, passa a ser extrema. Só tenho medo de Deus. Do resto abaixo, não tenho medo de nada", garantiu.

Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário