Featured Video

Páginas

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Tenente da PM e namorada têm prisões decretadas por morte de mulher


A atual companheira do tenente da Polícia Militar Iranildo Félix de Souza, Valéria Alexandre Cortez Ribeiro, foi presa na manhã desta terça-feira (14). A Polícia Civil cumpriu cinco mandados de prisão na Operação "Chaturanga", que investiga a execução da ex-mulher do tenente Iranildo Félix, Izânia Maria Bezerra, assassinada em 16 de fevereiro deste ano. Além dela, o próprio Iranildo Félix também foi oficialmente citado, na manhã desta terça-feira. O oficial continua preso no quartel do Comando Geral da PM.

Durante a ação, que foi resultado de oito meses de investigação, foram presos na cidade de Macaíba o Cabo da PM José Félix de Lima Filho, 48 anos, seu filho Francisco Jeferson Félix de Lima, 25 anos, e Charles Caio Santos da Costa, 28 anos. Em Natal, foi cumprido um mandado contra Valéria Alexandre, 31 anos, atual companheira do tenente Iranildo, que está preso sob acusação de matar o lutador Luiz de França, no dia 10 de fevereiro. O tenente também é alvo da investigação.
Emanuel Amaral
Iranildo Félix já estava preso e a namorada foi detida na manhã desta terça-feira
Iranildo Félix já estava preso e a namorada foi detida na manhã desta terça-feira

De acordo com a Polícia Civil, os investigados foram presos após a Polícia analisar seus depoimentos e identificar várias divergências nas declarações prestadas acerca do homicídio de Izânia Maria Bezerra.   

A ex-mulher do tenente Iranildo foi atingida por quatro tiros no pescoço e na cabeça em uma estrada carroçável em Macaíba, quando estava na companhia do ex-marido. No momento do crime, Iranildo também foi alvejado, mas estava com colete a prova de balas e não se feriu com gravidade. O fato levantou suspeitas e, na manhã de hoje, culminou com as prisões temporárias.

No depoimento sobre a morte de Izânia Maria, Valéria disse só a conhecia de vista e que a morte da ex-mulher de Iranildo Félix foi um atentado do qual a própria Valéria e o namorado seriam o alvo, tendo a ex-mulher do policial sido morta por engano. Segundo a advogada que defendeu Valéria no caso, "a ex-mulher estava no lugar errado na hora errada”.
Emanuel Amaral
Valéria Alexandre passou mal no momento da prisão e foi levada para realizar exames médicos em um hospital
Valéria Alexandre passou mal no momento da prisão e foi levada para realizar exames médicos em um hospital 


No momento da prisão, na manhã de hoje, Valéria Alexandre, que está grávida, passou mal e precisou ser levada até um hospital no bairro do Tirol, em Natal. Ela está sob escolta da Polícia Civil e, após receber o atendimento, será levada e ficará à disposição da Justiça.

A Polícia Civil ainda não deu detalhes sobre qual seria a suposta participação dos envolvidos na morte de Izânia Maria.

Fonte: Tribuna do Norte 

0 comentários:

Postar um comentário