Featured Video

Páginas

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Preço do leite ao produtor sobe 6% em abril, diz Cepea


São Paulo (AE) - O preço do leite ao produtor em abril subiu 6,16% na comparação com março e atingiu R$ 1,0838/litro, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. O valor representa a média no País e considera preço bruto, acrescido de frete e impostos. “Esse foi o segundo mês consecutivo de valorização, resultado da menor produção leiteira em março, em decorrência do início da entressafra”, afirma o Cepea em relatório divulgado nesta semana.
Júnior SantosO preço líquido, sem frete e impostos, teve média de R$ 0,9995/litro, 6,11% maior que o de março
O preço líquido, sem frete e impostos, teve média de R$ 0,9995/litro, 6,11% maior que o de março

O preço líquido, sem frete e impostos, teve média de R$ 0,9995/litro, valor 6,11% maior que o do mês passado e 7,77% superior ao de março/13, em termos reais (deflacionado pelo IPCA de março/14). As médias são ponderadas pelo volume captado nos Estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo em março.

Com a menor produção, o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L/Cepea) recuou 3,85% de fevereiro para março. “Mesmo com a ocorrência de chuvas em parte do Centro-Sul, estas não foram suficientes para recuperar áreas de pasto afetadas anteriormente pela seca. Além disso, desde março, as pastagens do Centro-Oeste e Sudeste estão menos produtivas e as vacas em lactação são secas, para que possam se preparar para a próxima parição.”

Como o Sul do País tem a entressafra adiantada quando comparado às demais regiões, os Estados da região registraram queda maior na captação de leite em março.

Tendência

Para os próximos meses, laticínios e cooperativas sinalizaram ao Cepea estabilidade de preços. Agentes afirmam que o mercado consumidor não absorveu os preços em altos patamares dos derivados.  “Tal cenário pode limitar novas altas nos preços pagos ao produtor, mesmo com a menor oferta de matéria-prima.”

Dentre as empresas consultadas, 43,2%, que detém 59% do leite amostrado, esperam manutenção dos valores para os pagamentos de maio. Outros 38,6%, que representam 21,5% do volume amostrado, têm expectativa de alta, enquanto os 18,2% restantes acreditam em queda.

As cotações dos derivados também subiram em abril. Na média mensal do atacado do Estado de São Paulo até o dia  29 de abril, o leite UHT e o queijo mussarela se valorizaram 3,30% e 1,97% em relação a março, com média de R$ 2,18/litro e R$ 12,32/kg, respectivamente.

Fonte: tribuna do Norte


0 comentários:

Postar um comentário