Featured Video

Páginas

sexta-feira, 14 de março de 2014

Secretária da Semob presta queixa à Polícia e divulga carta com ameaças


A secretária municipal de Mobilidade Urbana de Natal (Semob), Elequecina dos Santos, esteve hoje na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Natal para prestar queixa quanto à ameaça através de uma carta. O documento é um ofício enviado pelo Sitoparn, e tem data da última quarta-feira (12), mas somente hoje a titular da secretaria de trânsito da capital resolveu levar o caso ao conhecimento da polícia.
ReproduçãoTrecho de carta encaminhada pelo Sitoparn a Elequicina dos Santos foi interpretado como uma ameaça à titular da Semob
Trecho de carta encaminhada pelo Sitoparn a Elequicina dos Santos foi interpretado como uma ameaça à titular da Semob

A carta foi enviada ontem para Elequicina, mesmo dia em que ocorreram outros dois episódios de violência — o atentado a um ônibus e instantes depois a agressão física sofrida pelo secretário adjunto de Mobilidade, Clodoaldo Cabral.

O documento é assinado pelo presidente do Sindicato, Nivaldo Andrade Silva, e foi remetido com cópia para o procurador  geral do município e o procurador geral de Justiça, Rinaldo Reis. Veja a carta completa no fim da matéria.

Adjunto foi agredido

O secretário adjunto de mobilidade de Natal, Clodoaldo Trindade, sofreu um atentado, no início da noite de ontem, no momento em que saía da secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), na Ribeira. A agressão ocorreu por volta das 18h30. O secretário levou um soco no rosto que atingiu o olho e o nariz. Com o golpe, o nariz do secretário foi quebrado. Após atendimento num hospital particular, Clodoaldo foi à delegacia de plantão Zona Sul prestar depoimento. 
Júnior SantosO secretário Clodoaldo Trindade foi agredido no início da noite desta quinta-feira
O secretário Clodoaldo Trindade foi agredido no início da noite desta quinta-feira

Ele acredita que a ação foi um “aviso”, mas não explicou que tipo de aviso seria esse e qual seria o motivo real da agressão. “Eu estava sentado no meu carro, me preparando para sair. De repente, recebi a pancada no rosto. Pensei que fosse um tiro. Não anunciaram assalto, não levaram nada. Chegaram, bateram e foram embora. Isso foi um aviso para mim”, disse.

O secretário acredita ainda que o agressor utilizou alguma espécie de soqueira ou outro objeto de metal para atingi-lo. Clodoaldo Trindade reforçou que não saber quem cometeu a agressão, mas acredita que a ação foi um aviso. “Não posso dizer quem fez isso, pois não tenho provas, mas só poder ter sido um aviso. É importante que Natal saiba com quem estamos conversando”, disse.
Veja carta encaminhada a Elequicina dos Santos:


Fonte: Tribuna do Norte 


0 comentários:

Postar um comentário