Featured Video

Páginas

quinta-feira, 27 de março de 2014

Renan Calheiros confirma que vai instalar CPI da Petrobras


O presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou que vai conversar com líderes dos partidos para encaminhar a leitura do requerimento e a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suspeitas de má gestão e irregularidades da Petrobras. De acordo com o senador, "agora não há mais o que fazer", já que uma CPI em ano eleitoral "mais atrapalha do que facilita a vida do Brasil. Mesmo tendo dito que faria tudo para que não fosse instalada uma CPI, Calheiros afirmou que o requerimento protocolado por 28 senadores foi determinante, mas lembrou que a retirada de assinaturas pode ser feita até a meia-noite do dia que ele for lido em plenário. 

O requerimento foi protocolado na manhã desta quinta-feira (27) pelos senadores Alvaro Dias (PSDB-PR), Cyro Miranda (PSDB-GO) e Flexa Ribeiro (PSDB-PA). Agora, a Secretaria-Geral da Mesa fará a conferência das assinaturas e vai entregá-lo ao presidente do Senado, para que ele possa fazer a leitura no Plenário. Renan não tem, no entanto, um prazo regimental para esse procedimento. "Eu pretendo fazer isso agora. Eu vou conversar por telefone e ver com eles, do ponto de vista do encaminhamento, da necessidade de nós instalarmos rapidamente, quando é que nós iremos fazer. E quando fizer a leitura, você tem até meia noite do dia da leitura para que os partidos coloquem ou retirem nomes", explicou.

O senador Alvaro Dias disse não acreditar que os colegas retirem suas assinaturas por pressão do governo. Para o senador do Paraná, seria uma desmoralização para quem desistir da CPI. Além disso, ele acredita que todos os que assinaram o requerimento estão convictos de que precisa haver investigação para o bem da empresa. "Nós não podemos permitir que o patrimônio da Petrobras seja dilapidado por algumas pessoas. O objetivo não é atacar a empresa, é responsabilizar aqueles que eventualmente estejam contribuindo para dilapidação desse patrimônio", disse.

Integrante da base de apoio ao governo e um dos que também assinou o requerimento, o senador Eduardo Amorim (PSC-SE) disse ter recebido pedidos para que retire a assinatura, mas assegurou não pretender recuar da decisão. "Conversaram comigo alguns colegas senadores, alguns líderes, mas todos me conhecem. Eles mesmos disseram: 'Eduardo, eu estou pedindo porque eu tenho que pedir, mas eu sei como você age', então, eu pauto a minha vida baseado em princípios e valores, e não volto atrás – afirmou.

Para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, além do número mínimo de assinaturas de um terço dos senadores, é preciso que o requerimento contenha o fato concreto a ser investigado. No caso do requerimento da CPI da Petrobras, o senador Alvaro Dias explicou que serão quatro fatos. Em primeiro lugar, a oposição quer investigar a "negociata" da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.  Os senadores também pretendem averiguar se houve o recebimento de propina por parte de funcionários da Petrobras paga por uma empresa holandesa para fechar contratos de aluguel de plataformas do pré-sal. O terceiro fato a ser investigado é a suspeita de superfaturamento de refinarias e o quarto, o superfaturamento de plataformas.

Com informações da Agência Senado


0 comentários:

Postar um comentário