Featured Video

Páginas

quarta-feira, 26 de março de 2014

Ditadura: Câmara vai homenagear resistência à Ditadura


O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, decidiu que acolherá o requerimento da deputada Luíza Erundina (PSB-SP) para a realização de uma sessão solene para discutir o regime militar de 1964. A sessão ocorrerá no dia 1º de abril, às 9h30. O anúncio foi feito durante a reunião dos líderes partidários. O requerimento da deputada pede a realização da sessão para homenagear “civis e militares que resistiram à ditadura”.
ALEXANDRA MARTINSLuíza Erundina defende a sessão para destacar a resistência
Luíza Erundina defende a sessão para destacar a resistência


Além de Erundina, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) havia apresentado um requerimento para a realização da sessão solene. No texto, o deputado afirma que o regime instaurado em 1964 teve amplo apoio social e “que possibilitou, ao longo de vinte anos a consolidação da democracia”.

O presidente da Câmara disse, no entanto, que não poderia acolher um requerimento “para exaltar a ditadura”. Segundo ele, “esta casa não poderia fazer isso de jeito nenhum porque foi perseguida, brutalmente atingida pela revolução, seus membros cassados, essa casa fechada, portanto, estou indeferindo”

Em sua conta no twitter, Alves afirmou: “A Câmara não pode homenagear um regime que fechou três vezes esta Casa e cassou 173 parlamentares”, destacando que sua decisão teve apoio integral dos líderes.

Fonte: Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário