Featured Video

Páginas

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

PDT mantém diálogo com partidos de oposição no RN


Nos desdobramentos das articulações para formação de alianças partidárias com vistas às eleições deste ano, o PDT, legenda que tem o prefeito do maior colégio eleitoral do Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo, tem mantido diálogo com vários partidos, mas ainda não tomou uma decisão sobre qual candidatura vai apoiar. Carlos Eduardo, presidente estadual do PDT, confirmou que  manteve conversas com o PT, PSB, PMDB e tem uma reunião agendada para, após o Carnaval, com o PSD, que lançará o vice-governador Robinson Faria como candidato ao Governo. A referência do PDT é a do diálogo com os partidos que integram a base aliada da presidenta Dilma Rousseff e com as legendas que, no Rio Grande do Norte, estão na oposição ao governo. 
Emanuel AmaralCarlos Eduardo explica que ainda não há definição sobre indicações e formação de alianças
Carlos Eduardo explica que ainda não há definição sobre indicações e formação de alianças

“O PDT está ouvindo todos que são aliados no plano federal e os (partidos) que são de oposição ao Governo do Estado”, disse o prefeito Carlos Eduardo. Ele analisou que como a legenda que preside não tem definição sobre indicações ou apoios para cargos na chapa majoritária, “não há pressa”.

O líder do PDT considerou uma etapa natural as conversas que estão ocorrendo. “Não tem nada conclusivo, tudo ainda é processo, marchas e contramarchas, como é próprio da política”, destacou. Sobre o encontro com o vice-governador Robinson Faria, Carlos Eduardo disse que ainda não há data, mas é certo que ocorrerá após o Carnaval. E com quem o PDT ficará: com o PSD de Robinson Faria ou com o PMDB, do deputado federal Henrique Eduardo Alves? “Robinson Faria nos deu apoio [na eleição], o PMDB nos oferece apoio administrativo desde o primeiro momento e tem sido muito importante a atuação do deputado Henrique e do ministro Garibaldi em Brasília”, destacou.

Sobre a composição da chapa majoritária, o prefeito Carlos Eduardo analisou que o PDT poderá pleitear uma suplência de senador. E para esse espaço um dos cotados é o presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Norte, Marcelo Queiroz. “É um jovem líder de segmento importante do Estado, poderá prestar serviço a chapa majoritária e ao nosso partido”, comentou.

Carlos Eduardo ressaltou que o partido pretende lançar candidatos competitivos a deputado federal e estadual. O prefeito ainda não cita nomes. Mas informações de pessoas próximas a alta cúpula do PDT apontam como candidato a deputado federal pela legenda o atual secretário chefe do Gabinete do Prefeito, publicitário Savio Hackradt. Para deputado estadual um dos candidatos será Agnelo Alves, que tentará a reeleição. 

Dirigente do PDT, Hackradt disse que o partido se mantém com a linha de formar um palanque de oposição ao Governo Rosalba e unir os partidos da base da presidenta Dilma Rousseff. “Estamos olhando o cenário, aguardando o desenrolar dos acontecimentos”, comentou.

Carta de Fátima
Nas articulações para o pleito deste ano, o mais recente fato foi uma  carta pública assinada pela deputada federal Fátima Bezerra, que planeja ser candidata ao Senado pelo PT. Ela criticou o PMDB por ter fechado o diálogo com o PT com vistas ao pleito deste ano e confirmou a aliança com o PSD, do vice-governador Robinson Faria. 

Fátima Bezerra acusou o PMDB de encerrar, unilateralmente, o debate com o PT sobre o pleito deste ano. A deputada afirmou que o seu partido buscou reproduzir no Estado a aliança no plano nacional, que terá Dilma Rousseff como candidata a presidente e Michel Temmer vice. “Entendemos que as conversas que ocorreram durante o ano de 2013, no sentido de uma composição onde o PT indicaria o nome para o senado e o PMDB o nome para o governo que tinha como objetivo fortalecer o projeto nacional da chapa Dilma/Temer, foram descartadas unilateralmente por parte do PMDB”, escreveu.

A petista destacou que a partir de agora o PT e o PSD, que terá como candidato ao Governo Robinson Faria, passam a cumprir uma agenda comum de discussões e reuniões, inclusive buscando novos parceiros para o palanque. 

No comunicado Fátima Bezerra afirmou que o PT lançará candidato ao Senado e deverá duelar com a candidata do PSB. No entanto, a parlamentar não citou os nomes dela própria como a candidata ao Senado pela ala petista, e da vice-prefeita de Natal Wilma de Faria. “O que se desenha para 2014 é uma disputa entre PT e PSB, tanto nacional quanto local, com candidaturas para a presidência da república e para o senado respectivamente”, comentou.

Fonte: Tribuna do Norte


0 comentários:

Postar um comentário