Featured Video

Páginas

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

MPE e PM cumprem mandados de busca e apreensão em imóveis de Gilson Moura


O Ministério Público do Estado (MPE) e a Polícia Militar do Rio Grande do Norte cumprem, na manhã desta sexta-feira (7), seis mandados de busca e apreensão em pelo menos dois imóveis do deputado estadual Gilson Moura.

O comandante da Polícia Militar do Estado, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, confirmou que há uma operação envolvendo seis equipes atuando junto ao Ministério Público, mas não deu detalhes sobre o caso.

Por volta das 9h10, o veículo onde estavam os promotores de justiça que acompanham o caso, incluindo o promotor-geral, Rinaldo Reis, saiu do condomínio onde o parlamentar mora, em Nova Parnamirim, escoltado por viaturas da Polícia Militar. Porém, o MP nega que o deputado estivesse no veículo, afirmando que ele não foi encontrado no imóvel.
Felipe Galdino /CelularPolícia Militar cumpre mandado em condomínio de casas em Nova Parnamirim
Polícia Militar cumpre mandado em condomínio de casas em Nova Parnamirim


Gilson Moura é acusado de envolvimento na contratação de funcionários fantasmas no Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (Ipem/RN) durante gestão de Rychardson Macedo. O caso é investigado pela Operação Pecado Capital, deflagrada no dia 12 de setembro de 2011. 

Segundo o Ministério Público, entre os crimes investigados na operação estão os de quadrilha, peculato, corrupção ativa e passiva, de lavagem de dinheiro com uso de empresas de comércio de veículos e de alimentos, bem como de fraude a licitações.

Ele também foi denunciado pelo Ministério Público Federal, que ingressou no último dia 30 com uma ação de improbidade administrativa contra Gilson Moura pelo mesmo caso. De acordo com o MPF, ele também teria desviado e subtraído valores repassados ao Ipem pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Na denúncia é pedido ainda o afastamento do cargo da Assembleia Legislativa e o bloqueio dos bens do político.

Fonte: Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário