Featured Video

Páginas

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Líder do PT na Câmara alfineta cúpula da Casa e diz que ninguém queria cassar Genoino


O líder do PT, José Guimarães (CE), voltou nesta quarta-feira (4) a alfinetar a cúpula da Câmara e afirmou que o sentimento da Casa era que ninguém queria cassar seu irmão, o ex-deputado José Genoino (PT-SP), preso e condenado no esquema do mensalão.
renúncia de Genoino foi publicada hoje no "Diário Oficial" da Câmara. Genoino entregou o mandato para escapar do processo de cassação. Ontem, a cúpula da Câmara se reuniu para decidir sobre o início do processo e, após quatro dos sete integrantes apoiarem a abertura, a carta de renúncia de Genoino foi apresentada.

" Genoino tomou uma atitude de muita grandiosidade, ele foi maior, ele está com sentimento de dever cumprido com o país e com o Parlamento, tem uma história, um legado que ninguém apaga. Um gesto grandioso talvez maior do que de alguns dos membros da Mesa [Diretora]", provocou o petista.

Segundo o petista, a bancada em peso do PT tem apoiado Genoino. O caso chegou a reunir as mais diversas correntes do partido em defesa do ex-deputado. "Eu só recebi cumprimentos, abraços, o sentimento da Casa é que Genoino é homem honesto e honrado. Ninguém queria cassar o Genoino na Casa. Tomou a decisão pessoal e estamos solidários".

José Genoino

Pedro Ladeira - 16.nov.2013/Folhapress
AnteriorPróxima
José Genoino desembarca no hangar da PF em Brasília
MAL-ESTAR
Guimarães evitou falar em mal-estar com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). "Genoino tomou a posição e fim de papo. O PT saberá reconhecer seu legado. é um processo que o PT aprendeu muito aqui na câmara", disse.

Os petistas responsabilizaram Alves pela renúncia. Avaliam que ele pressionou os colegas de Mesa a seguirem seu entendimento de que era preciso abrir o processo de cassação. 

Também o acusaram de tomar decisões mais com base na opinião pública do que nos fatos.
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou nesta quarta que o mal-estar com o PT pela renúncia de Genoino é "uma página virada". Henrique Alves disse que agiu no caso de forma serena e cumprindo a Constituição.

Seguindo orientação da cúpula da sigla, os petistas baixaram o tom público de uma possível retaliação ao comando da Casa. Mas disseram que o episódio deixou sequelas.

SALÁRIO
Com a renúncia, o petista deixa de receber o salário de R$ 26,7 mil, mas terá direito a cerca de R$ 20 mil mensais porque já possui aposentadoria proporcional ao tempo de serviço no Legislativo.

O pedido de aposentadoria por invalidez continuará a ser analisado pela Câmara --o entendimento é que ele foi feito quando Genoino ainda era deputado. Se conseguir o benefício, o petista terá direito ao valor integral do salário. O petista passou por uma cirurgia cardíaca no meio do ano.

Desde o dia 15 de novembro ele está preso pelos crimes do mensalão. Ele foi condenado a 6 anos e 11 meses de prisão. Por conta da saúde, ele está em prisão domiciliar.

Fonte: Folha de São Paulo Onliner

0 comentários:

Postar um comentário