Featured Video

Páginas

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Líder do PMDB diz que PT está sendo injusto com presidente da Câmara


Após o mal-estar causado pela renúncia de José Genoino, o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), saiu em defesa do presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), nesta terça-feira (3). Para ele, colocar a culpa no presidente é uma "injustiça".

No início da tarde de hoje, a carta de renúncia foi apresentada pelo vice-presidente da Casa, André Vargas (PT-PR), durante reunião da Mesa Diretora da Câmara. Após o encontro, o petista afirmou ter ficado decepcionado com Henrique Alves. Para Cunha, no entanto, a avaliação é injusta. "Todos nós lamentamos, não dá pra querer culpar o Henrique por cumprir o dever dele", disse.

Para o peemedebista, o presidente da Casa fez mais do que deveria ao não acatar a determinação do STF (Supremo Tribunal Federal) de perda imediata do mandato. "Se tivesse que fazer alguma coisa contra ele [Genoino], era muito mais fácil cumprir o que o Supremo decidiu", afirmou.

Vargas disse que não haverá retaliação do PT contra o comando da Casa, mas reconheceu que a relação com o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), está abalada.

"Lamento a postura de Henrique Alves. Ele poderia ter acolhido os efeitos suspensivos [do processo] porque ele [Genoino] está afastado e está temporariamente inválido. Ao instaurar o processo, a Mesa estaria instaurando o processo contra alguém que não poderia se defender", disse o petista. E completou: "Me sinto decepcionado com Henrique Alves".
Sergio Lima/Folhapress
André Vargas(PT-PR) fala em mágoa contra o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB-RN)
André Vargas (PT-PR) fala em mágoa contra o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB-RN)

A renúncia de Genoino foi apresentada no início da tarde durante a reunião da Mesa Diretora da Casa que discutia a abertura do processo de cassação. A carta de renúncia foi lida em plenário pelo deputado Amauri Teixeira (PT-BA). A saída será publicada amanhã no "Diário Oficial" da Câmara.

FUTURO
Aos 67 anos, o petista passou por uma cirurgia cardíaca em julho, mas parecer de uma junta médica da Câmara divulgado na semana passada negou seu pedido de imediata aposentadoria por invalidez. Segundo o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), esse processo vai continuar.

Independente do processo da aposentadoria por invalidez, Genoino passará a receber aposentadoria proporcional aos anos de mandato --ele entrou na Câmara em 1983--, de cerca de R$ 20 mil.

O petista está preso desde o dia 15 de novembro. Ele chegou a passar mal no complexo penitenciário da Papuda e foi transferido para um hospital de Brasília. Após passar dois dias em tratamento, ele seguiu para prisão domiciliar na casa de uma familiar na capital federal.

Fonte: Folha de São Paulo Online

0 comentários:

Postar um comentário