Featured Video

Páginas

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Em evento com Campos, Dilma anuncia obra com "dinheiro exclusivo" federal


Na primeira vez em que dividiu palanque com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), desde que ele rompeu com seu governo, a presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira (17) recursos do governo federal para obras de mobilidade na região metropolitana do Recife.

Em discurso durante cerimônia no porto de Suape (PE), Dilma fez questão de frisar que o investimento de R$ 1,2 bilhão no Arco Metropolitano do Recife será feito "com dinheiro exclusivo do governo federal".


Considerada uma das obras de infraestrutura mais importantes para o desenvolvimento do Estado, o projeto do anel viário foi desenvolvido pelo governo de Campos, provável rival de Dilma nas eleições do ano que vem, mas foi "abraçado" pelo governo federal em março deste ano.

Ao discursar antes de Dilma, o governador já tinha tentado rechaçar a disputa pela paternidade do projeto.

Depois de demonstrar cordialidade com a presidente, Campos disse que a "nova política", uma de suas bandeiras, requer que os recursos para obras sejam tratados como "dinheiro do povo", e não da União ou do Estado.

"Nós sabemos que a nova política nos obriga sempre a olhar para a frente para pensar um futuro em que os recursos públicos não pertençam à prefeitura, ao Estado ou à União, mas ao povo, e devem voltar ao povo em obras que sejam feitas a custos efetivamente justos", disse Campos.

ANEL VIÁRIO
O Arco Metropolitano do Recife será formado por um anel viário que irá contornar a região metropolitana da capital pernambucana. A ideia é desafogar a BR-101, facilitar o transporte de cargas e tornar mais rápido o acesso ao porto de Suape.

A obra também deverá facilitar o escoamento da produção da fábrica da Fiat, que está sendo instalada em Goiana (65 km do Recife), e foi uma das razões para que a montadora decidisse se instalar em Pernambuco, em um investimento de cerca de R$ 5 bilhões.

Dilma anunciou ainda outros investimentos em mobilidade, como a construção de uma linha de VLT (veículo leve sobre trilhos) e de corredores de ônibus no Recife, em parceria com a prefeitura, e um projeto de navegabilidade do rio Capibaribe, em conjunto com o governo do Estado.

Segundo a presidente, seu governo já investiu R$ 140 bilhões em mobilidade em todo o país.

AGRADECIMENTOS
O evento, realizado no estaleiro Atlântico Sul, foi para marcar a conclusão da plataforma para extração de petróleo P-62, que deverá entrar em funcionamento na bacia de Campos no primeiro trimestre de 2014.

Os componentes da plataforma foram desenvolvidos por lotes em diferentes partes do Brasil e montados no estaleiro, em Suape.

Dilma parabenizou os trabalhadores e afirmou que o Brasil será o "maior produtor de plataformas [marítimas] do século 21". Neste ano, foram entregues nove, segundo a presidente.

Seu discurso foi marcado por fortes aplausos dos trabalhadores, sobretudo nos momentos em que ela mencionava a geração de novos empregos e o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Nós, e eu posso garantir a vocês, vamos ter muita contratação daqui para frente. Só nesse último campo de Libra, para extrair o petróleo, precisaremos de 12 a 18 plataformas", disse, sob aplausos.

Dilma ainda citou a aprovação pelo Congresso da destinação da maior parte dos royalties do petróleo para a educação e exaltou o programa Mais Médicos, do governo federal.
Roberto Stuckert Filho/PR
Graça Foster, presidente da Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff e o governador Eduardo Campos em evento em Pernambuco
Graça Foster, presidente da Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff e o governador Eduardo Campos em evento em Pernambuco

Fonte: Folha de São Paulo Online

0 comentários:

Postar um comentário