Featured Video

Páginas

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

STF concede prisão domiciliar provisória a Genoino


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, concedeu na tarde desta terça-feira (21) a prisão domiciliar provisória para que ex-presidente do PT e deputado federal José Genoino (SP). De acordo com a decisão, Genoino poderá cumprir a pena em regime domiciliar ou hospitalar até que ele seja submetido a uma perícia médica. 

No início da tarde, Barbosa determinou que uma junta médica formada por, no mínimo, três médicos, produza um laudo oficial sobre o estado de saúde de Genoino. Os médicos serão indicados pelos diretores do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

No despacho, Barbosa afirma que concedeu a prisão domiciliar ou hospitalar provisória a Genoino após ser informado pelo juiz Ademar de Vasconcelos, da Vara Execuções Penais do Distrito Federal (VEP), por telefone, sobre a internação de Genoino nesta tarde. Segundo Barbosa, a informação repassada hoje contradiz documento da VEP enviado ao STF ontem (20) sobre o estado de saúde do parlamentar.

Genoino passou mal hoje na Penitenciária da Papuda, em Brasília, e foi transferido para o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (IC-DF), no Hospital das Forças Armadas (HFA). Ele precisou ser levado ao hospital devido a problemas no coração.

Genoíno vem buscando relaxamento na prisão alegando problemas de saúde. No entanto, até a tarde de hoje, o parlamentar não havia conseguido o benefício e permaneceu custodiado no presídio. 
O advogado Luiz Fernando Pacheco informou à imprensa que o deputado teve uma suspeita de princípio de infarto e, por isso, precisou ser levado ao IC-DF. A assessoria de comunicação do parlamentar confirmou a versão e disse que ele foi levado porque a administração do presídio entendeu que ele não tinha mais condições de permanecer e precisava ser atendido por cardiologistas.

Segundo informações da imprensa em Brasília, a equipe médica do complexo da Papuda explicou que Genoíno teve identificadas através de eletrocardiograma algumas alterações nos batimentos cardíacos. O quadro motivou a liberação do parlamentar para que fosse atendido em hospital.

Com informações da Agência Brasil /Tribuna do Norte


0 comentários:

Postar um comentário