Featured Video

Páginas

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

PREFEITO DO ASSÚ AUTORIZA A CONSTRUÇÃO DE AGROVILA COM 50 CASAS EM COMUNIDADE INDÍGENA


O Prefeito Ivan Júnior assinou nesta sexta-feira (29/11), ao final de solenidade realizada no Cine Teatro Pedro Amorim, a autorização para construção de moradias para famílias residentes no “Caboclo”, comunidade indígena localizada na zona rural do Assú. E para que as famílias fiquem com suas propriedades totalmente regularizadas, também foram entregues títulos de posse dos lotes doados pela prefeitura.
As moradias, que agora serão construídas, é um sonho antigo dos moradores, e a parceria da Prefeitura do Assú com o Banco do Brasil, através do programa Minha Casa Minha Vida Rural, vai possibilitar a realização deste sonho com, a construção de 50 casas que formará a Agrovila Enizio Barbosa Lopes, levando mais conforto e melhor qualidade de vida as famílias beneficiadas.

O representante da comunidade, Antônio Adriano Lopes agradeceu a ação da Prefeitura: “a comunidade do caboclo que agradecer pelos lotes e pelas casas de alvenaria que serão construídas, porque hoje estamos morando em casas de taipa, e essa obra vai mudar a vida de nossas famílias”, destacou Adriano.

Em sua fala a secretária municipal de desenvolvimento social e habitação, Maira Leiliane destacou que uma das políticas do município é valorizar e apoiar as minorias. “É como muita felicidade que estou aqui hoje, vendo uma comunidade indígena, cujos ancestrais eram proprietários de todas região, ser beneficiada com moradias que lhes trarão mais conforto e dignidade”.

O prefeito Ivan falou sobre a importância da construção da Agrovila: “não será somente a construção de casas, será a construção de um ambiente para convivência dessas famílias”. O prefeito destacou ainda os avanços do programa habitacional do município: “de 2009 até agora construímos mais de 1000 casas, e atualmente estamos com quase 500 casas em construção, se mantivermos este ritmo construiremos mais de 2000 casas até 2016, no maior programa habitacional que Assú já viu”. Concluiu Ivan Júnior.

A comunidade do “Caboclo” está em fase de reconhecimento oficial como comunidade indígena, por parte da Fundação Nacional do Índio (FUNAI).

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif
SEACOM - PMA

0 comentários:

Postar um comentário