Featured Video

Páginas

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Funceme prevê inverno normal na pré-estação


A instituição ressalta que dezembro e janeiro são os meses que compõem a pré-estação chuvosa e as médias de chuva nesse período são mais baixas que as dos meses da quadra-chuvosa, ou seja, chover em torno da média em dezembro e janeiro não significa chover muito.

De acordo com a Funceme, o quadro teria a seguinte configuração: Em dezembro a média seria de 29,2 milímetros; janeiro 98,7mm e em fevereiro, quando começa a quadra chuvosa no Semiárido nordestino, a média seria de  127,1 milímetros. 
Magnus NascimentoDois anos seguidos de seca reduziram rebanho pela metade
Dois anos seguidos de seca reduziram rebanho pela metade

Os sistemas meteorológicos que atuam na pré-estação, segundo a Funceme, são diferentes dos que atuam na quadra chuvosa. Assim, não há relação entre a previsão para os próximos três meses e o prognóstico oficial da quadra chuvosa. “É preciso cautela, são períodos diferentes com sistemas distintos. Nada impede que haja chuvas razoáveis em dezembro e em janeiro mas a estação fique abaixo da média. Até gostaríamos de dar uma notícia melhor, porém, ainda é cedo para falarmos das precipitações da estação chuvosa”, destaca Eduardo Sávio Martins, presidente da Funceme. Ele também informa que a divulgação do prognóstico oficial do período chuvoso de 2014 no Ceará acontecerá na segunda quinzena de janeiro.

No interior do Nordeste, o homem do campo alimenta esperança de que o inverno será normal em 2014, depois de dois anos de seca que destruiu a economia rural e reduziu o rebanho pela metade. Além “dos sinais emitidos pela natureza”, das estatísticas que apontam anos terminados em 4 como bons de inverno, a crença se fortaleceu com as chuvas do início de novembro, trazidas por um fenômeno meteorológico conhecido como vórtice ciclônico, e com a mudança do clima neste final de ano.

Em 1994, de acordo com dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), 46,7% dos municípios tiveram chuvas acima do normal. O recorde do ano foi registrado em Maxaranguape: 2.960 milímetros.  Em Martins foram 1.782; Jucurutu 1.374; Mossoró 1.208; Natal 2.184; Parnamirim 2.291,6. O menor registro, naquele ano foi em Pedro Avelino, na região central: 311,3 milímetros.

Em 2004, o número de municípios com inverno classificado como “chuvoso” ou “muito chuvoso” foi ainda maior: 96 município (57,5%). Em 2004 o recorde foi registrado em Natal 2.446 milímetros e a menor precipitação em Upanema, no Oeste, com 303,6 milímetros. Este ano, choveu granizo no município de Santana do Seridó. 


Fonte: Tribuna do Norte 

0 comentários:

Postar um comentário