Featured Video

Páginas

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

PREFEITO DO ASSÚ AUTORIZA A CONSTRUÇÃO DE AGROVILA COM 50 CASAS EM COMUNIDADE INDÍGENA


O Prefeito Ivan Júnior assinou nesta sexta-feira (29/11), ao final de solenidade realizada no Cine Teatro Pedro Amorim, a autorização para construção de moradias para famílias residentes no “Caboclo”, comunidade indígena localizada na zona rural do Assú. E para que as famílias fiquem com suas propriedades totalmente regularizadas, também foram entregues títulos de posse dos lotes doados pela prefeitura.
As moradias, que agora serão construídas, é um sonho antigo dos moradores, e a parceria da Prefeitura do Assú com o Banco do Brasil, através do programa Minha Casa Minha Vida Rural, vai possibilitar a realização deste sonho com, a construção de 50 casas que formará a Agrovila Enizio Barbosa Lopes, levando mais conforto e melhor qualidade de vida as famílias beneficiadas.

O representante da comunidade, Antônio Adriano Lopes agradeceu a ação da Prefeitura: “a comunidade do caboclo que agradecer pelos lotes e pelas casas de alvenaria que serão construídas, porque hoje estamos morando em casas de taipa, e essa obra vai mudar a vida de nossas famílias”, destacou Adriano.

Em sua fala a secretária municipal de desenvolvimento social e habitação, Maira Leiliane destacou que uma das políticas do município é valorizar e apoiar as minorias. “É como muita felicidade que estou aqui hoje, vendo uma comunidade indígena, cujos ancestrais eram proprietários de todas região, ser beneficiada com moradias que lhes trarão mais conforto e dignidade”.

O prefeito Ivan falou sobre a importância da construção da Agrovila: “não será somente a construção de casas, será a construção de um ambiente para convivência dessas famílias”. O prefeito destacou ainda os avanços do programa habitacional do município: “de 2009 até agora construímos mais de 1000 casas, e atualmente estamos com quase 500 casas em construção, se mantivermos este ritmo construiremos mais de 2000 casas até 2016, no maior programa habitacional que Assú já viu”. Concluiu Ivan Júnior.

A comunidade do “Caboclo” está em fase de reconhecimento oficial como comunidade indígena, por parte da Fundação Nacional do Índio (FUNAI).

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif
SEACOM - PMA

Incêndio atinge auditório do Memorial da América Latina em São Paulo



Um auditório do Memorial da América Latina, na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, Barra Funda, São Paulo, está sofrendo com um incêndio iniciado por volta das 15 horas desta sexta-feira (29), de acordo com os bombeiros.

27 carros do Corpo de Bombeiros estão no local combatendo o incêndio. Não há informações oficiais sobre as causas do incêndio. Dois bombeiros ficaram intoxicados e foram encaminhados para o hospital. Imagens da TV Globo mostraram algumas pessoas sendo atendidas do lado de fora do Memorial, mas não há confirmação sobre o estado de saúde das pessoas. Ao menos duas ambulâncias foram usadas para atender pessoas que precisavam de atendimento médico.

Em entrevista à rádio CBN, o presidente da Fundação Memorial da América Latina, João Batista de Andrade, disse que é cedo para falar sobre as causas do acidente. Além disto, ele afirma que toda a programação está suspensa e que os prejuízos serão avaliados após um laudo técnico.

Segundo a assessoria do Memorial da América Latina, funcionários estavam dentro do Auditório Simon Bolívar quando o incêndio começou, mas eles foram rapidamente retirados e sem ferimentos. O forro da plateia B do auditório teria sido bastante danificado pelo incêndio.


A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não interditou nenhuma via da região, mas pede para os motoristas evitarem o local. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) não suspendeu a circulação de trens, já que a estação de trem e metrô é muito próxima do Memorial.

Marco da cidade de São Paulo

O conjunto arquitetônico na Barra Funda foi projetado por Oscar Niemeyer e inaugurado em março de 1989. O Memorial tem uma área de 84,4 mil metros quadrados, com espaço para exposições e eventos. A assessoria do local não confirma se alguma obra de arte foi atingida pelo incêndio.

Fonte: Yahoo Notícias 

IBGE: 23,7% dos potiguares entre 15 e 29 anos não trabalham nem estudam



A quantidade de jovens potiguares que não trabalha e nem estuda está acima da média nacional. De acordo com dados que constam na Síntese de Indicadores Sociais, realizado desenvolvido pelo IBGE, 23,7% dos jovens entre 15 e 29 anos que residem no Rio Grande do Norte não trabalham e nem estudam. Os números foram divulgados nesta sexta-feira (29) e estão na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2013, com dados referentes a 2012.

De acordo com os dados levantados pela pesquisa, o Brasil possui, atualmente, 9,6 milhões de jovens de 15 a 29 anos que não estuda nem trabalha, o equivalente a 19,6% do total de pessoas nessa faixa de idade. No Rio Grande do Norte, dos mais de 907 mil jovens nessa faixa etária, 214.959, em 2012, não trabalhavam nem estudavam. 

Em comparação com o Nordeste, o Rio Grande do Norte está na média da região. No Brasil, o caso mais grave é o do Amapá, onde 27,8% dos jovens nessa faixa etária não estudam e nem trabalham, seguido por Alagoas (27,4%) e Pernambuco (26,9%). Na outra ponta da tabela aparece Santa Catarina, onde 12,7% não trabalham e não estudam. O Rio Grande do Sul (15,1%) e Paraná (16,2%).

Fonte: Tribuna do Norte
 

Cláudia Regina é cassada pela 10ª vez


A prefeita de Mossoró, Cláudia Regina (DEM), e o vice, Wellington de Carvalho, foram cassados pela 10ª vez. Ontem (29), a juíza titular da 34ª Zona Eleitoral de Mossoró, Ana Clarisse Arruda Pereira, sentenciou a prefeita por suposto "caixa dois" na campanha, mas a chefe do Executivo poderá recorrer da decisão ainda no cargo.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Eleitoral, Cláudia Regina dispôs de doações irregulares na campanha, inclusive com empresas que prestavam serviços à Prefeitura contribuindo fazendo contribuição, e teria declarado serviços por valores mais baixos durante a disputa eleitoral. Segundo o MP, foi apurado aproximadamente R$ 1.341.814,20 de maneira irregular, o que corresponderia a 42,5% de todo o gasto de campanha de Cláudia Regina e Wellington de Carvalho.

Cláudia Regina: reunião com assessores após vitória no TRE

Entre os gastos irregulares e não declarados pela coligação de Cláudia Regina estaria o uso de um helicóptero. Segundo o MP, a prefeita teria dexiado de registrar na contabilidade de campanha os gastos com a aeronave e que o valor dos gastos com o serviços deveriam ser de aproximadamente R$ 1,2 milhão. Na defesa, a coligação de Cláudia Regina que o helicóptero é um bem privado e que não foi disponibilizado por seu proprietário para a campanha eleitoral, "de modo que seu este poderia tê-lo utilizado da forma que bem lhe conviesse, inclusive, adesivando-o com o slogan da candidata vencedora, inexistindo qualquer espécie normativa que enquadre tal atitude como ilícito".

Apesar dos argumentos, a juíza Ana Clarisse Arruda entendeu que houve irregularidades e que cassou os diplomas de Cláudia Regina e Wellington de Carvalho, anulando os votos obtidos pela prefeita e determinando a realização de nova eleição. Além disso, os dois condenados foram considerados inelegíveis por oito anos, mas seguirão nos cargos durante a fase de recurso.

Mais processos
O julgamento do mérito de um dos processos que tramitam no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra a prefeita mossoroense Cláudia Regina (DEM) poderiam ter entrado na pauta ontem (29), mas foi adiado mais uma vez por falta de juízes. Os casos são referentes a suposto abuso do poder econômico.


O plenário do TRE é composto por sete desembargadores e dois já haviam alegado suspeição. Outros dois não compareceram a sessão de ontem. Com apenas três magistrados, não houve quórum mínimo para que o julgamento entrasse na pauta. Com isso, o presidente do TRE, Amilcar Maia, determinou que o processo não fosse apreciado ontem.

Fonte: Tribuna do Norte

Regiões Norte e Nordeste têm piores índices sobre saneamento, diz IBGE


O número de crianças de 0 a 14 anos que viviam, em 2012, em domicílios com todas as formas de saneamento inadequado de forma simultânea (sem abastecimento de água por meio de rede geral, sem esgotamento sanitário de rede geral ou fossa séptica ligada à rede coletora e o lixo não era coletado direta ou indiretamente) no Brasil era de 10,2%. Dentre as regiões, a Norte tem o pior resultado (22,1%) e a Nordeste o segundo pior (16,7%). O Rio Grande do Norte tem o melhor percentual regional, com 8,6%. A informação faz parte da Síntese de Indicadores Sociais – Uma Análise das Condições de Vida dos Brasileiros, publicada hoje (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 
Reprodução/IBGETabela apresenta índices relativos ao Brasil e às regiões Norte e NordesteTabela apresenta índices relativos ao Brasil e às regiões Norte e Nordeste

Considerando crianças dessa faixa etária moradoras de domicílios sem esgotamento sanitário de rede geral ou fossa séptica, o índice nacional sobe para 45,2%, impulsionado pelos indicadores também da região Norte, onde 85,3% não conta com essa cobertura e a região Nordeste, que tem 65,8% dessas crianças e adolescentes expostos.

No documento publicado pelo IBGE é detalhado o percentual também por estado brasileiro. Na região Norte, que detém pior índice, o estado com maior número de crianças residentes em casas sem saneamento foi Rondônia, onde 61,5% dessa faixa etária está exposta. No Nordeste, o pior índice fica com o estado do Maranhão, cujo percentual é de 32,7%. O Rio Grande do Norte também possui o menor percentual da região, com 12,7% das crianças de 0 a 14 anos morando em casas sem saneamento básico.

O levantamento traz também índices relacionados ao número de internações hospitalares em decorrência de doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado. Dos números apresentados, as regiões Norte e Nordeste detêm os maiores indicadores, com 693.8 casos e 533.1 casos em cada 100 mil habitantes, respectivamente. Neste ranking o RN tem o terceiro menor correspondente, com 443 casos por 100 mil habitantes. O número apesar de abaixo da média regional, fica acima da média nacional de 325.4 casos em cada 100 mil pessoas.

Fonte: Tribuna do Norte

Mais médicos: Ministério abre novas inscrições


São Paulo (AE) - Em mais uma tentativa de preencher os postos vagos em cidades que ainda não receberam médicos, o Ministério da Saúde abriu ontem a terceira rodada de inscrições para o programa Mais Médicos. Atualmente, apenas um terço das 4.025 cidades que pediram profissionais nas duas primeiras fases do programa foi atendido. Nesta nova etapa, apenas os próprios médicos podem se inscrever. Ao contrário das duas primeiras fases, os municípios não terão a possibilidade de pedir profissionais. 

O cadastro foi aberto, simultaneamente, para profissionais brasileiros e estrangeiros. Os formados em universidades nacionais terão até o dia 9 para manifestar interesse. Já os estrangeiros ou brasileiros formados no exterior poderão anexar os documentos necessários, já validados pelos consulados, até dia 13.
Emanuel AmaralPrograma do Governo para ampliar as ações básicas de saúde nas áreas mais carentes do Brasil já contratou mais de 3,6 mil médicosPrograma do Governo para ampliar as ações básicas de saúde nas áreas mais carentes do Brasil já contratou mais de 3,6 mil médicos

A relação de brasileiros selecionados será divulgada no dia 23 e a previsão é de que eles comecem a trabalhar em 6 de janeiro. Já a lista com os intercambistas escolhidos sai em 31 de dezembro. Como eles precisam passar pelo curso de formação de três semanas, o início do atendimento do grupo está previsto para 10 de fevereiro.

Atualmente, 3.663 médicos do programa atuam no País, dos quais 2.400 vieram de Cuba. Além deles, um grupo de 3 mil cubanos participa do curso de formação para começar a atender em dezembro. Considerando a baixa adesão de brasileiros nas duas primeiras fases do programa, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, já declarou que não descarta trazer mais médicos de Cuba para ocupar as vagas ociosas. Para atender todos os municípios que requereram médicos, o governo federal terá de chegar à marca de 13 mil profissionais.

Integrantes do primeiro grupo de cubanos enviado ao País, os 76 médicos escalados para trabalhar na capital paulista começaram a atender quarta-feira, dia 27, três semanas após o previsto. Os profissionais deveriam ter iniciado o trabalho no dia 4, mas o registro profissional provisório foi emitido pelo Ministério da Saúde somente na semana passada.

Entre as médicas estreantes em São Paulo, está Taomara Iser Rodriguez, de 51 anos, experiente em missões internacionais. Atuou em regiões pobres da Venezuela por sete anos, três deles vividos em comunidades indígenas da selva amazônica. 

“Quando me inscrevi no programa, pensei que o atendimento seria em locais muito isolados. Nunca imaginei que viria para uma grande capital”, afirma ela, que começou a atuar nesta quarta-feira na Unidade Básica de Saúde (UBS) Alpes do Jaraguá, na zona norte da capital. A pobreza vista nas favelas da região, porém, impressionou a médica. “O que mais me surpreendeu foi a condição precária das moradias. Não sei como eles conseguem subir naquelas escadas improvisadas”, afirma.

Com esse reforço, ao final de 2013, o Programa Mais Médicos contará com 6,6 mil médicos, permitindo que mais de 22 milhões de pessoas passem a ter acesso à assistência em saúde básica. A meta do Governo Federal é atender 13 mil vagas até março de 2014.

Lançado em 8 de julho pelo Governo Federal, o Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, com objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país.

Médicos que participam do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab) ou que fazem residência médica em instituição de educação superior precisam se desligar desses programas caso decidam participar do Mais Médicos.

Os participantes do programa recebem bolsa no valor líquido de R$ 10 mil por mês, além de ajuda de custo para instalação nos municípios onde ficarão por três anos. Todos os participantes têm isenção de 27,5% por mês de imposto de renda, licença maternidade/paternidade, trinta dias de descanso remunerado. Os municípios são responsáveis pela alimentação e moradia dos selecionados.


Fonte: Tribuna do Norte

Renato Fernandes: “Tenho orgulho do trabalho reconhecido para além do partidarismo


Após o PR deixar a base aliada governista, o secretário de Estado do Turismo, Renato Fernandes contrariou sua vontade e também a da governadora Rosalba Ciarlini e entregou sua carta de exoneração na última quarta-feira (27). O ato, segundo ele, respeitou sua honestidade política, iniciada desde 1978, e a fidelidade partidária de 20 anos junto ao partido, liderado no Estado potiguar, pelo deputado federal João Maia. Após um ano e meio no comando da SeturRN, Renato Fernandes deixa aproximados R$ 220 milhões assegurados para projetos em andamento ou encaminhados.

Na tarde desta quinta-feira (28), o secretário reuniu a equipe da Secretaria e se despediu, embora siga no “batente” até a publicação oficial de sua exoneração. Pela manhã, por exemplo, Renato Fernandes ciceroneou uma comitiva de portugueses membros da ONG Eco Green Life Natal à sede da Fundação José Augusto para discutir parcerias em projetos turísticos e culturais. Em seguida, participou da reunião do 5º Fórum de Turismo do RN, no Hotel Vila Park. E esteve ainda, à tarde, na Governadoria junto a hoteleiros para audiência com o chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado.

HERANÇA
“Não quero comentar a situação que encontrei na Setur. Prefiro registrar que conseguimos implantar uma ritualística processual; resgatamos projetos dormitantes desde 2009, a exemplo do Complexo da Rampa; e reestruturamos o organograma funcional da Secretaria.

LEGADO
“Lamento sair no momento em que começaríamos a colher os frutos do trabalho. São R$ 120 milhões do RN Sustentável, R$ 30 milhões para a ampliação do Centro de Convenções de Natal, quase R$ 10 milhões do projeto já em andamento do Complexo Cultural da Rampa, R$ 25 milhões do PAC Cidades Históricas, aproximados R$ 2 milhões do projeto de urbanização da orla de Tibau do Sul/Pipa, R$ 850 mil para o plano de marketing do turismo. E ainda deixamos um projeto de sucesso imediato e estrondoso: o Viva Costeira. Destacaria ainda, talvez o nosso maior legado: o Pronatec Copa, com mais de duas mil vagas pactuadas e aproximadamente 600 alunos já em sala de aula. Além da presença em 36 eventos turísticos internacionais, nacionais e locais. E ainda a conquista do sonhado prédio próprio à Setur, no Centro Administrativo”.

SUBSTITUTO
“Não faço a menor ideia de quem irá me substituir. Não indiquei ninguém. Essa decisão faz parte do poder discricionário da governadora. Não obstante, acredito em uma escolha pensada para dar continuidade nos projetos que deixamos encaminhados”.

FUTURO
“Volto à iniciativa privada, às minhas empresas do setor salineiro, e à atividade sindical neste setor. Mas não me desligarei totalmente do turismo. Esse vírus ficou em mim e estarei agora do outro lado, como empresário. São projetos futuros”.

PARTIDARISMO
“Não obstante a questão partidária, eu me sinto lisongeado pelo reconhecimento da governadora ao nosso trabalho. Saio com o sentimento do dever cumprido. E saio porque sou um homem de partido e leal. Então, mesmo sob dificuldades, com uma equipe enxuta, mas dedicada, construímos uma secretaria de projetos. E quem chegar para me substituir vai encontrar mais facilidade de trabalho”.

AGRADECIMENTOS
“Agradeço a colaboração das entidades e associações do setor: Abrasel, Abrajet, ABIH, Abav, Convencion Bureau, Coothur, e tantas outras; à parceira Emprotur, e ao trade em geral. Em especial, ao Conetur – um órgão sempre democrático – e aos polos, visto que uma das nossas maiores missões foi a regionalização do turismo, expresso em boa parte dos nossos projetos. Estou saindo, mas ficarei à inteira disposição do próximo secretário; usarei de minhas amizades e influências em Brasília para ajudar no que for possível. Acredito neste governo e ainda acho que posso colaborar de alguma forma”.


-- 
Assessoria de Comunicação SETUR/EMPROTUR
Sérgio Vilar - (84) 9929-6595

Twitter: @seturRN

Jovens comemoram participação no Parlamento Jovem em última sessão do ano na AL


A última sessão ordinária deste ano da 3ª edição do Parlamento Jovem foi realizada no final da manhã desta sexta-feira (29) no plenarinho da Assembleia Legislativa e reuniu praticamente toda a bancada jovem.  Em meio aos vários pronunciamentos do dia, a tônica ficou pelo balanço das atividades no projeto feito pelos meninos e meninas.

A estudante da Escola Estadual Nestor Lima e presidente da bancada jovem do RN, Talita Emiliano, era uma das mais empolgadas com as atividades e ressaltou a mudança de consciência que o projetou tem oferecido através da experiência vivida no Legislativo Potiguar.

“Quando entrei não tinha a noção de como seria organizado e de que como teria impacto na minha vida. Agora tenho um conhecimento social da política e de sua importância para a vida da gente. Sei que como cidadão ou deputado, todos podem contribuir de alguma forma”, disse a jovem, a primeira mulher eleita presidente desde a primeira edição.

Da mesma forma se sentia o jovem Gustavo Potiguar que, junto com representantes da Câmara Municipal de Baía Formosa, conseguiu implantar na Casa Legislativa de seu Município, o projeto para os jovens da cidade. “Levamos a discussão, o vereador Saulo abraçou a ideia e implantamos o projeto lá”, contou ele que reforçou a importância do projeto em sua vida e o novo entendimento de política. “Vi que não é só papel e discurso, mas ouvir a população e transformar ideias em soluções”, disse.

Para Luci Dantas, coordenadora do projeto, as atividades do Parlamento Jovem não despertaram apenas a cidadania, mas mudaram a vida de muitos dos jovens deputados. A constatação, segundo ela, é com base no relatório dos diretores das escolas. “Jovens que eram vítima de bullying na escola passaram a ser respeitados por que mudaram a postura, adolescentes que melhoraram notas, garotos e garotas que tem contribuído para suas comunidades, mas também para outros municípios”, relatou.

Presente em outras sessões, a deputada estadual Márcia Maia e autora do projeto também esteve presente no encerramento das atividades deste ano.  A parlamentar destacou a importância do projeto e a relevância dos debates realizados em plenário. “A cada edição, os jovens têm demonstrado mais maturidade e provado o quão certos estávamos ao apostar neles. A escolha por um projeto em que colocamos como protagonistas o futuro de nosso estado é semear uma base para que esse futuro seja próspero”, afirmou a parlamentar que destacou ainda os temas abordados nos debates.

“É gratificante e estimulante ver esses jovens participando e discutindo ativamente os problemas de suas comunidades e municípios. É uma corrente de cidadania que estendemos pelo Rio Grande do Norte”, avaliou.

As atividades da 3ª edição do Parlamento Jovem vão até maio do próximo ano. Até junho, uma nova eleição deverá ser feita para a formação da nova bancada. Até lá, os garotos continuarão se reunindo e dando uma lição de cidadania na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

-- 
Para mais informações sobre o mandato e do dia-a-dia da deputada estadual Márcia Maia, basta acessar o endereço: www.marciamaia.com.br;

Assessoria de Imprensa
Bruno Araújo - JORNALISTA
Twitter - @MarciaMaia_
Facebook - deputadaMarciaMaia
(84) 8872-9614
(84) 3232-5814

Prefeito do Assú assina hoje ordem de serviço para construção de Agrovila com 50 casas


O Prefeito do Assú, Ivan Júnior realizou na manhão hoje sexta-feira (29), a entrega de títulos de posse a 50 famílias residentes na comunidade de Caboclos, zona rural do município, ao mesmo tempo assinou a Ordem de Serviço para construção da Agrovila Enizio Barbosa Lopes.

Com esta ação a Prefeitura do Assú estará fortalecendo duas de suas metas principais. A primeira é o avanço no programa habitacional do município e a segunda é a valorização e o apoio as minorias, pois a comunidade é formada em quase sua totalidade por descendentes de índios que habitaram a nossa região, estando inclusive em fase de reconhecimento como comunidade indígena, por parte da Fundação Nacional do Índio (FUNAI).

A obra que será realizada com financiamento do Banco do Brasil, através do programa Minha Casa Minha Vida Rural,  tem ainda o objetivo de promover a melhoria da qualidade de vida das famílias beneficiadas, através do acesso à terra e à moradia no campo, combatendo a miséria, a marginalização dos indivíduos e o êxodo rural.

A Solenidade aconteceu às 09:00 horas, no Cine Teatro Pedro Amorim.

SEACOM - PMA

Carnaubais - Governo Mais Desenvolvimento fará entrega de 20 casas hoje a tarde


Cumprindo a Agenda Positiva elaborada pela gestão municipal logo mais às 16h00 desta sexta-feira o Governo Mais Desenvolvimento fará entrega de mais 20 unidades habitacionais no Conjunto Núbia Lafayete, a entrega das chaves acontecerá no próprio conjunto e deverá contar com presenças de autoridades local, beneficiários, familiares e população que aposta no governo municipal. 

O prefeito Luizinho Cavalcante que tem como a sua maior marca construção de casas (já foram mais de 500 nos seus mandatos) reafirmou o compromisso de continuar a lutar pela edificação de mais unidade habitacionais no município.

Com informações de Magno Marques

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Juros sobem e empréstimos recuam


Brasília (AE) - Os juros para o consumidor subiram em outubro pelo quinto mês consecutivo e contribuíram para a queda nas concessões de empréstimos no mês passado. Segundo o Banco Central, a taxa média cobrada de clientes pessoa física subiu de 25,5% para 26,1% ao ano de setembro para outubro, maior nível desde maio do ano passado. Para as empresas, o aumento foi menor, de 14,7% para 14,8% ao ano. A média diária de concessões caiu 4,4% no mês, influenciada ainda pela greve dos bancos e pelo movimento sazonal do período.

A alta dos juros foi puxada pelo spread bancário, que é a parcela da taxa que inclui despesas administrativas, custo com inadimplência, tributos e o lucro dos bancos, entre outros fatores. Já o custo do dinheiro para as instituições financeiras, que é influenciado pelo aumento da taxa básica de juros e vinha subindo desde o início do ano, ficou estável no mês passado. Um dos fatores que compõe o spread, a taxa de inadimplência, caiu no mês passado para 4,6% no caso das pessoas físicas, menor valor da série histórica do BC, iniciada em março de 2011. Para as empresas, ficou estável em 2%.

Entre as principais linhas de crédito livre para a pessoa física, destaque para o aumento dos juros no crédito pessoal tradicional (que não considera as operações com desconto na folha de pagamento), cuja taxa média subiu de 82,1% para 88,1% ao ano em apenas um mês. No cheque especial, os juros subiram de 143,3% para 144,5% ao ano. No crédito consignado, passaram de 24,3% para 24,6% ao ano. A inadimplência caiu no crédito pessoal no mês passado e ficou praticamente estável nas outras duas linhas.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, afirmou que os juros bancários vêm subindo em linha com o ciclo de política monetária. Desde abril, o BC já elevou a taxa básica de 7,25% para 10% ao ano. Disse ainda que oscilações mensais no spread bancário são normais e que, no ano, essa parcela da taxa final para consumidores e empresas está praticamente estável.

Greve
Maciel afirmou também que o crescimento do estoque de crédito em outubro foi mais fraco do que em setembro, como acontece todos os anos, e que a expansão foi afetada ainda pela greve dos bancos no mês passado e pela alta da taxa básica de juros nos últimos meses. O estoque de operações de crédito do sistema financeiro subiu 0,5% em outubro ante setembro e chegou a R$ 2,6 trilhões. O valor equivale a 55,4% do Produto Interno Bruto (PIB).

No mês passado, o saldo de crédito para empresas caiu, inclusive em relação aos recursos do BNDES para capital de giro e investimentos. Para as famílias, houve aumento no total das dívidas, principalmente, no crédito imobiliário, segmento no qual os bancos públicos lideram.

As instituições estatais, aliás, continuaram a aumentar sua participação no mercado de crédito no mês passado. Nos 12 meses encerrados em outubro, já cresceram quase 25%, enquanto os bancos privados nacionais registram expansão de 6%. 

A inadimplência nas instituições estatais ficou estável em outubro (2%) e acumula alta em relação a dezembro do ano passado (1,8%). Nos nacionais privados, os atrasos seguem em queda. Ficam em 4,5% no final do mês passado. 

Fonte: Tribuna do Norte

Licitações: Presidente da Alstom nega pagamento de propinas


São Paulo (AE) - O presidente da Alstom no Brasil, Marcos Costa, negou ontem que a multinacional francesa tenha participado de cartel em licitações de trens em São Paulo. Ele disse também que a empresa não pagou propina a políticos. “A Alstom não participa de cartel e não vê indícios de formação de cartel. Não posso dizer de algo que a empresa não participou. Não temos essa identificação de desvio de conduta de funcionários”, afirmou Costa em depoimento prestado à CPI dos Transportes da Câmara Municipal, que também passou a investigar as denúncias de cartel no setor metroferroviário. 

Costa fez menção ao acordo de leniência assinado em maio pela Siemens com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Nele, a empresa delatou um acerto entre concorrentes nos certames pelos contratos do setor metroferroviário - do qual também teria feito parte a Alstom. Em troca da delação do esquema ao Cade, a Siemens terá um abrandamento de eventuais punições. 
epitácio pessoa/ecMarcos Costa, centro, presta depoimento na CPI dos Transportes que investiga denúncias de cartel no setor metroferroviário
Marcos Costa, centro, presta depoimento na CPI dos Transportes que investiga denúncias de cartel no setor metroferroviário

O presidente da Alstom também disse que a multinacional francesa não pagou propina a políticos. O Estado revelou em outubro um e-mail enviado pelo ex-presidente da empresa no Brasil José Luiz Alquéres, no qual ele “recomenda enfaticamente” a diretores da Alstom que utilizem os serviços do consultor Arthur Teixeira, apontado pelo Ministério Público como lobista e pagador de propinas a servidores públicos de estatais do setor metroferroviário, entre 1998 e 2003. Na correspondência, de 18 de novembro de 2004, Alquéres destacou o “bom relacionamento com governantes paulistas”. Atualmente, Alquéres é membro do conselho estratégico da Alstom, segundo informou Costa. 

“Todos os nossos contratos de consultoria são absolutamente legais. Serviços foram prestados e pagos em função desses serviços. Contratamos consultorias reconhecidas. A Alstom não paga propina. A Alstom não contrata lobista”, disse Costa aos vereadores da CPI. 

“Os consultores prestaram serviços e não temos identificado nenhuma irregularidade. Existem investigações em curso. Os jornais fazem acusações, e em todas as investigações para as quais a Alstom é chamada estamos cooperando com todos os órgãos”.

O vereador Milton Leite (DEM), um dos membros da comissão parlamentar, disse que a Alstom é uma “organização criminosa” e questionou Costa em relação ao histórico da empresa francesa. Segundo o parlamentar, a multinacional francesa foi processada em vários países por pagamento de propina. Ele afirmou que o Banco Mundial, inclusive, impediu a empresa de participar de alguns projetos por “desvio de conduta” de alguns de seus funcionários.

O presidente da Alstom foi intimidado a depor na CPI outras duas vezes. Na primeira, o executivo conseguiu uma liminar na Justiça que o desobrigava a prestar esclarecimentos aos vereadores da comissão. Em novembro, o Tribunal de Justiça de São Paulo derrubou a ação depois de acolher um recurso feito pelo presidente da CPI, vereador Paulo Fiorilo (PT). Depois disso, a comissão voltou a convocar Costa a depor. O presidente da Alstom compareceu à Câmara, mas na hora alegou mal-estar e teve que deixar a Casa sem responder aos questionamentos da mesa do colegiado. A CPI dos Transportes foi instalada em julho na Câmara após a onda de protestos pela redução das tarifas do transporte público Só depois ela passou a investigar as denúncias de cartel.


Fonte: Tribuna do Norte

Funceme prevê inverno normal na pré-estação


A instituição ressalta que dezembro e janeiro são os meses que compõem a pré-estação chuvosa e as médias de chuva nesse período são mais baixas que as dos meses da quadra-chuvosa, ou seja, chover em torno da média em dezembro e janeiro não significa chover muito.

De acordo com a Funceme, o quadro teria a seguinte configuração: Em dezembro a média seria de 29,2 milímetros; janeiro 98,7mm e em fevereiro, quando começa a quadra chuvosa no Semiárido nordestino, a média seria de  127,1 milímetros. 
Magnus NascimentoDois anos seguidos de seca reduziram rebanho pela metade
Dois anos seguidos de seca reduziram rebanho pela metade

Os sistemas meteorológicos que atuam na pré-estação, segundo a Funceme, são diferentes dos que atuam na quadra chuvosa. Assim, não há relação entre a previsão para os próximos três meses e o prognóstico oficial da quadra chuvosa. “É preciso cautela, são períodos diferentes com sistemas distintos. Nada impede que haja chuvas razoáveis em dezembro e em janeiro mas a estação fique abaixo da média. Até gostaríamos de dar uma notícia melhor, porém, ainda é cedo para falarmos das precipitações da estação chuvosa”, destaca Eduardo Sávio Martins, presidente da Funceme. Ele também informa que a divulgação do prognóstico oficial do período chuvoso de 2014 no Ceará acontecerá na segunda quinzena de janeiro.

No interior do Nordeste, o homem do campo alimenta esperança de que o inverno será normal em 2014, depois de dois anos de seca que destruiu a economia rural e reduziu o rebanho pela metade. Além “dos sinais emitidos pela natureza”, das estatísticas que apontam anos terminados em 4 como bons de inverno, a crença se fortaleceu com as chuvas do início de novembro, trazidas por um fenômeno meteorológico conhecido como vórtice ciclônico, e com a mudança do clima neste final de ano.

Em 1994, de acordo com dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), 46,7% dos municípios tiveram chuvas acima do normal. O recorde do ano foi registrado em Maxaranguape: 2.960 milímetros.  Em Martins foram 1.782; Jucurutu 1.374; Mossoró 1.208; Natal 2.184; Parnamirim 2.291,6. O menor registro, naquele ano foi em Pedro Avelino, na região central: 311,3 milímetros.

Em 2004, o número de municípios com inverno classificado como “chuvoso” ou “muito chuvoso” foi ainda maior: 96 município (57,5%). Em 2004 o recorde foi registrado em Natal 2.446 milímetros e a menor precipitação em Upanema, no Oeste, com 303,6 milímetros. Este ano, choveu granizo no município de Santana do Seridó. 


Fonte: Tribuna do Norte