Featured Video

Páginas

sábado, 17 de janeiro de 2009

A DESIGUALDADE SOCIAL E SUAS CONSEQÜÊNCIAS


No Brasil a desigualdade data de 1500, ano de seu descobrimento, já que os portugueses mandaram para habitar os primeiros povoados aqueles socialmente excluídos pela Coroa Lusitana. Era apenas o início.

Posteriormente e não muito distante vieram os escravos, negros trazidos da África, a maior parte de Angola, para suprir os desejos dos brancos, desde o trabalho forçado até a serventia carnal tomada pelos seus senhores, como assim eram tidos.

O Brasil de hoje, apesar de estar entre as dez maiores economias do mundo, é um dos campeões na desigualdade social. São inúmeras as causas com conseqüências assustadoras. Os índices de violência ultrapassam os limites toleráveis, transformando o cidadão refém do sistema. O aparelhamento público perdeu a credibilidade perante a sociedade. Tornou-se ainda mais corrupto.

Nosso povo está cada vez mais pobre e desprovido de proteção confiável daqueles que ajudamos a transformá-los em nossos representantes. Sem um programa justo de distribuição de renda as favelas crescem vertiginosamente a cada dia.

Os brasileiros pobres, que representam mais de noventa por cento da população, ficam progressivamente mais distantes da chamada inclusão social. As cotas? O que elas representam? Não seria mais justo melhorar o ensino de base? Certamente os mentores de tais preconceitos sabem que crianças pobres e desnutridas não rendem nas escolas, escolas públicas, diga-se de passagem, o suficiente para enfrentar os filhos de pais abastados que podem pagar boas escolas e lhes oferecer boa alimentação, boa base familiar. Vejam o texto de Gilberto Dimenstein, colunista do jornal Folha de São Paulo.

Cérebro de pobre funciona pior?


Neurocientistas da Universidade da Califórnia mediram a atividade cerebral de crianças pobres, submetidas a testes de lógica, em comparação com a de crianças ricas. Resultado: a região do córtex pré-frontal, relevante para solução de problemas, funciona pior entre os mais pobres --o detalhamento dessa pesquisa está no http://www.dimenstein.com.br./

Os pesquisadores comentam que o problema não é necessariamente a pobreza, mas a falta de estímulos (livros, brincadeiras, museus, exposições) que as crianças sofrem em suas casas. E, com isso, deixam de desenvolver uma área do cérebro decisiva para que prosperem na escola e, mais tarde, no trabalho. Em suma, fica comprometida a criatividade.A tradução dos comentários dos cientistas é a seguinte: a falta de oportunidades é comprometida, em parte, desde os primeiros anos de vida.

Isso se traduz na importância da pré-escola, a partir das creches, como substituto à escassez da vida familiar. E também do envolvimento cada vez maior da comunidade na criação de espaços educativos dentro e fora da escola. O que, em resumo, significa o papel educativo que as cidades devem assumir.

Não vejo obra mais importante que um governante no geral e um prefeito em particular possam assumir do que mexer no cérebro das crianças.

----------------------------------

Bem, como expõe Josué de Castro, em dia de muita inspiração, “Metade da população brasileira não dorme porque tem fome; a outra metade não dorme porque tem medo de quem está com fome”.

Mas, para felicidade geral da Nação, o “exército do bem” tem crescido, avançado e conquistado vitórias. Não são somente as empresas que se voltam para implementar ações na área social. Boa parte da população tem se beneficiado com programas voltados para os mais carentes. Existem, hoje, no país cerca de 220.000 organizações não-governamentais, a maioria dedicada à filantropia. Nem todas confiáveis, é claro.

Os soldados desse bom exército estão em todos os lugares. Em ruas, escolas, associações, ou mesmo em casas de detenção, a exemplo dos internos do presídio Hélio Gomes, que doaram por três vezes (outubro, novembro e dezembro) para o Banco Rio de Alimentos, num nobre gesto de solidariedade, alimentos equivalentes a uma refeição do seu dia. Isto demonstra que a atitude cidadã independe do poder aquisitivo, condição social ou humana, mas está diretamente relacionada à capacidade de lançar o olhar para o que está em volta e perceber que há sempre algo a fazer pelo outro.

20 comentários:

que qui é isso?????????????????????

Olha gostei muito do seu texto, é muito rico em apontar as causas do problema social que enfrentamos e sugere boas alternativas para melhorar esse panorama atual...um forte abraço...

gostei muito desse texto !!!!!!!!!!!

isso vai ajudar muito no meu trabalho da escola sobre a desigualdade social . . .
parabens pelo seu blog é muito criativo
um abraço!!

Cristalino , objetivo , genial !!! Suas palavras expressaram de forma simples o triste quadro da desigualdade social no Brasil.Também fiquei emocionada ao saber que ainda há esperança na compaixão da raça humana .....
É tempos melhores vislumbram no porvir !!!
Muito obrigada .

Lidya Casal

esse texto vai me ajudar muito a construir a minha redação! parabéns! adorei a forma como vc soube falar de forma simples um assunto tão abrangente;)

um ótimo texto vai me ajudar muito na
redação que tenho que fazer

nao gosto de vcs!
isso é escroto

Acredito que usou toda a sua sensibilidade para criar esse texto, porque até eu que estava só a proucura de algo para só copiar e ganhar pontos , me inspirei e acabei lendo e descobrindo novas oportunidades para a leitura . Muito sincero seu texto!

Evoluímos a cada informação obtida. Somou para mim. Obrigado.

Parabéns gostei muito do seu texo.. muito criativo.. o legal é que mostra como mudar esse nosso Brasil.. Beijos

Claudeson ribeiro
xinguara-para
O Brasil de hoje, apesar de estar entre as dez maiores economias do mundo, é um dos campeões na desigualdade social.

texto bom porem pesquisei sobre a africa e apareceu isso

Postar um comentário