Featured Video

Páginas

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

No RN, ex-prefeito de Assu assume a Secretaria de Recursos Hídricos


Do G1 RN
A Secretaria de Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte (Semarh) tem um novo titular. É Ivan Lopes Júnior (PSD), ex-prefeito de Assu. A nomeação foi publicada na edição desta terça-feira (21) do Diário Oficial do Estado. Ivan Júnior substitui o economista e doutor em Engenharia de Produção Mairton França, também filiado ao PSD.

“O governador precisa de um viés mais político para a Semarh. A orientação do trabalho que vinha sendo realizado continuará. Essa garantia o governador quer dar com a minha permanência como adjunto da secretaria”, disse Mairton.

A nomeação de Mairton como adjunto da Semarh deve ser publicada ainda nesta terça.

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 22 milhões nesta terça-feira


Por G1
O sorteio 1.905 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 22 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio, o primeiro dos três especiais de Carnaval, ocorre às 20h (horário de Brasília) desta terça-feira (20), em São Paulo (SP).

De acordo com a Caixa Econômica Federal, com o valor integral do prêmio, o ganhador poderá adquirir quatro helicópteros ou nove franquias de marcas consolidadas no mercado. Se quiser investir na poupança, o sortudo poderá garantir uma aposentadoria de R$ 147 mil por mês.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Senado sabatina Moraes nesta terça; saiba a quais questões ele deve responder


Indicado pelo presidente Michel Temer para substituir Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro licenciado da Justiça, Alexandre de Moraes, será submetido nesta terça-feira (21) a uma sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

A expectativa entre os senadores é que a sessão da CCJ será longa e a maratona de perguntas e respostas deverá durar cerca de 12 horas, assim como ocorreu em 2015, quando os parlamentares sabatinaram Luiz Edson Fachin, à época indicado para o STF pela então presidente Dilma Rousseff.

Entre os temas que deverão ser abordados ao longo da sessão, estão, por exemplo, as ligações políticas de Moraes com o PSDB, partido ao qual foi filiado até o início deste mês, e os pensamentos que o indicado tem sobre temas já em análise no Supremo.

Parlamentares da oposição afirmam que questionarão Moraes sobre temas polêmicos e sobre os posicionamentos políticos dele em relação a assuntos controversos.

Já os senadores que integram a base de apoio ao presidente Michel Temer dizem que tentarão formular questionamentos que explorem o conhecimento jurídico do ministro licenciado.

"As últimas sabatinas têm sido bastante longas, foi assim com o ministro Fachin e com o procurador Rodrigo Janot. Se a sabatina se prolongar, o que é uma possibilidade, [mesmo assim] estará dentro do regimento", observou o presidente da CCJ, Edison Lobão (PMDB-MA).

Com informações do Gi.Com

UFRN cadastra convocados na segunda chamada do Sisu


Do G1 RN
A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza a partir desta terça-feira (21) o cadastramento dos aprovados na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

As datas de atendimento variam de acordo com o campus para o qual seja destinada a vaga do aluno, distribuídas da seguinte forma: campi Natal e Macaíba nos dias 21, 22, 23 e 24; campus Caicó ou curso multicampi de Medicina (Caicó, Currais Novos e Santa Cruz) nos dias 22, 23 e 24; campi de Currais Novos e Santa Cruz nos dias 23 e 24.

A pró-reitora de Graduação, Maria das Vitórias Vieira Almeida de Sá, recomenda aos estudantes acessar o edital disponível na internet, onde poderão consultar dia e local do cadastramento, além dos documentos e declarações necessários. O horário de atendimento será das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h em todos os pontos de cadastramento.

Os aprovados nos campi de Natal e Macaíba serão atendidos na Escola de Ciência e Tecnologia (ECT), no campus central da UFRN, já os novos estudantes do campus Caicó ou do curso multicampi de Medicina devem comparecer ao Centro Regional de Ensino Superior (CERES) em Caicó. O cadastramento dos aprovados nos campi Currais Novos e Santa Cruz acontece, respectivamente, no CERES Currais Novos e na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa), em Santa Cruz.

Rio Grande do Norte receberá R$ 9,4 milhões para Operação Carro-Pipa


O Ministério da Integração Nacional disponibilizou nesta segunda-feira (20) mais de R$ 9,4 milhões para ações de socorro e assistência à população que vive em regiões atingidas pelo longo período de seca e estiagem no Rio Grande do Norte. Os recursos serão aplicados na contratação de caminhões-pipa que abastecerão 65 municípios, beneficiando cerca de 350 mil pessoas. A portaria que autoriza o repasse foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

O aporte de investimentos é a segunda parcela do auxílio emergencial assegurado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec). Desde o início do mês, o total de recursos federais destinado à Operação Carro-Pipa realizada pelo Governo do Estado soma R$ 12,7 milhões. Além de garantir o fornecimento de água potável à população, os recursos liberados hoje também vão permitir a contratação de uma empresa para monitorar o roteiro dos veículos durante as rotas de captação e abastecimento.

Os municípios que serão contemplados pela medida são: Alexandria, Almino Afonso, Antônio Martins, Campo Grande, Cruzeta, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Janduís, João Dias, Luís Gomes, Marcelino Vieira, Martins, Messias Targino, Paraná, Paraú, Patu, Pilões, Rafael Fernandes, São Miguel, Serrinha dos Pintos, Tenente Ananias, Triunfo Potiguar, Acari, Cerro Corá, Equador, Espírito Santo, Ipueira, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, Jucurutu, Ouro Branco, Passagem, Santana do Matos, Santana do Seridó, Santo Antônio, São Fernando, São José do Seridó, Timbaúba dos Batistas, Várzea, Água Nova, Alto do Rodrigues, Angicos,  Bodó, Caiçara do Norte, Carnaubais, Coronel João Pessoa, Currais Novos, Doutor Severiano, Fernando Pedroza, Florânia, Guamaré, Jardim de Angicos, Lagoa Nova, Lajes, Macau, Pedra Preta, Pedro Avelino, Pendências, Riacho de Santana, Riachuelo, São João do Sabugi, São Rafael, São Vicente, tenente Laurentino Cruz e Venha-Ver.

Reconhecimento
Outra medida aprovada pelo Ministério e publicada no DOU de segunda-feira (20) foi o reconhecimento federal de situação de emergência em Piaçabuçu (AL), onde o abastecimento de água também está prejudicado em razão do avanço do mar. A medida permite que a prefeitura solicite o apoio da União para assistência à população e restabelecimento de serviços essenciais.

Apoio federal 
O reconhecimento federal é o primeiro passo para obter apoio material e financeiro da Defesa Civil Nacional. Também é necessário apresentar um Plano de Trabalho e um relatório com diagnóstico dos danos. Os pedidos são feitos por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID), disponível no endereço: www.mi.gov.br/defesa-civil/s2id. Equipes técnicas da Sedec analisam os processos e, assim, o Ministério define o valor a ser disponibilizado.

DeFato

Meteorologistas discutem se vai chover no RN nos próximos meses


Do G1 RN

Meteorologistas e representantes de diversas instituições nacionais estão reunidos no Rio Grande do Norte nesta segunda-feira (20) para discutir e apresentar a previsão do tempo para o Nordeste brasileiro nos meses de março, abril e maio. O estado passa atualmente pela mais longa e severa seca de sua história. O boletim meteorológico será divulgado nesta terça-feira (21) às 11h.

Durante a manhã, foram apresentadas palestras sobre os fatores que interferem na previsão climática. À tarde, serão discutidos relatórios preparados pelas instituições participantes e, a partir desses dados, feita a previsão do tempo para os próximos três meses.

De acordo com o pesquisador Caio Coelho, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o resfriamento do Oceano Pacífico não fez chover no Nordeste tanto quanto o esperado. Ele explicou que a previsão fica mais difícil quando os oceanos Pacífico e Atlântico não “falam a mesma linguagem”.

Além de pesquisadores da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), do Inpe e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), estudantes de Meteorologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) também participam da reunião na sede da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn).

Secas no Nordeste
Os primeiros registros de seca no Nordeste datam de 1583, algumas décadas depois que os portugueses começaram a conquistar o Brasil. Ao longo da história, os ciclos de estiagem se repetiram; o coordenador do Inmet, Expedito Rebello, destaca o período de 1776 a 1778, quando boa parte do gado morreu por causa da seca.

Segundo Expedito, a primeira ação governamental para tentar mitigar o problema da seca foi em 1877, com o incentivo à construção de cacimbas. Em 1909, o governo federal criou o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e o Inmet. Desde os anos 40, a estratégia do poder público é investir na construção de reservatórios.

Colapso hídrico no RN
O Rio Grande do Norte passa atualmente pela mais longa e severa estiagem da história do estado. Dos 167 municípios do estado, 153 estão em situação de emergência. De acordo com dados da Companhia de Águas e Esgotos do estado (Caern), o abastecimento foi cortado em 18 cidades. Em outras 76, sistemas de rodízio foram adotados.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

PF conclui inquérito e diz que Lula, Dilma e Mercadante atuaram para obstruir Justiça


O relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal afirma que os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, além do ex-ministro Aloizio Mercadante, atuaram para obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

A informação foi divulgada nesta segunda-feira (20) pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e confirmada pela TV Globo.

A conclusão do inquérito aberto para investigar a atuação dos petistas foi enviada na última quinta-feira (16) pelo delegado da Polícia Federal Marlon Oliveira Cajado dos Santos ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, e ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

No relatório, a PF sugere que Dilma, Lula e Mercadante sejam denunciados criminalmente por obstrução de Justiça. Ao ex-ministro, também é imputado o crime de tráfico de influência.

Como nenhum dos três detêm foro privilegiado, o pedido é para que eles respondam aos supostos crimes na primeira instância da Justiça.

Em nota, a defesa de Lula afirma que a conclusão da PF é "desprovida de qualquer fundamento jurídico" e acusa o delegado de "perseguição" ao ex-presidente (leia a íntegra da nota ao final desta reportagem).

Por telefone, o advogado Alberto Toron, que defende Dilma, afirmou que o relatório "representa apenas a opinião do delegado sobre os episódios investigados" e que a ex-presidente nega ter cometido os crimes a ela imputados.

O advogado Pierpaolo Bottini, que defende Aloizio Mercadante, disse que o ex-ministro recebeu com "surpresa" a manifestação policial e que ele nega qualquer tentativa de obstruir as investigações.

Indiciamento
Apesar de considerar que "o conjunto probatório é suficiente" para imputar os crimes de obstrução de Justiça e tráfico de influência (no caso de Aloizio Mercadante), a PF não os indiciou formalmente.

Segundo a TV Globo apurou, apesar de não ter indiciado oficialmente os três, a PF entende que, na prática, todas as informações enviadas e provas colhidas sustentam um eventual indiciamento no futuro.

Apesar disso, como não há um entendimento claro sobre se a denúncia criminal deve ser apresentada à primeira instância da Justiça ou ao STF, já que Dilma, Lula e Mercadante detinham foro privilegiado no período em que os supostos crimes ocorreram, a Polícia Federal decidiu aguardar manifestação oficial do ministro Edson Fachin sobre o assunto.

Com informações do G1.Com

Texto anticorrupção vai para o Senado após validação das assinaturas, diz Maia


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (20) que, após a Casa validar as assinaturas de apoio ao pacote anticorrupção, o texto será enviado diretamente ao Senado. Dessa forma, disse Maia, a Câmara não precisará votar o projeto novamente.

No ano passado, o ministro do Supremo Tribunal Luiz Fux determinou que o projeto fosse devolvido pelo Senado à Câmara e a tramitação começasse do zero. O Senado devolveu o texto na semana passada e, após Rodrigo Maia informar que a Câmara validará as assinaturas, o caso foi extinto.

Se algum parlamentar entender que Maia está descumprindo a decisão de Fux de determinar o reinício da tramitação do pacote, terá de entrar com uma nova ação no STF.

A proposta nasceu após a Operação Lava Jato e teve o apoio do Ministério Público Federal e contou com mais de dois milhões de assinaturas. Por ser um projeto de iniciativa popular, o texto deveria ter as assinaturas de apoio checadas pela Câmara para, então, tramitar.

Como a Câmara alega que até então não tinha a estrutura necessária para checar essas assinaturas, a praxe passou a ser um deputado "adotar" a proposta, e o texto a tramitar como projeto de lei.

Em novembro do ano passado, os deputados analisaram o pacote anticorrupção em plenário e desfiguraram as propostas, aprovando, por exemplo, punições a juízes e a integrantes do Ministério Público.

Diante das modificações, um parlamentar acionou o Supremo Tribunal Federal (STF), e o ministro Luiz Fux suspendeu a tramitação do projeto, que já estava no Senado, além de ter determinado a devolução da proposta à Câmara e decidido que o texto deveria ter a tramitação iniciada do zero.

Na semana passada, após o Senado devolver o texto à Câmara e Rodrigo Maia informar ao STF que a Casa checará e validará as assinaturas, Fux extinguiu o processo referente ao projeto no Supremo - relembre no vídeo abaixo.

Validação das assinaturas
Maia afirmou que a conferência das assinaturas será feita pela Secretaria-Geral da Mesa, enquanto caberá à Comissão de Constituição e Justiça validá-las.

Questionado, então, sobre se após a validação o projeto será enviado diretamente ao Senado, da forma como foi aprovado pela Câmara no ano passado, Rodrigo Maia respondeu:

"Se estiver tudo certo, com certeza, porque o rito foi cumprido". "Se o rito estiver correto, acho que não há necessidade de outra votação", acrescentou.

Para o presidente da Câmara, a validação das assinaturas atende à decisão de Luiz Fux. "Acredito que a preocupação dele [ministro] era na origem. Se a origem está resolvida, e se a CCJ confirma que todo o rito de votação, tanto na comissão como no plenário, cumpriu o regimento da Casa e as leis, não vejo que tem que refazer a votação", afirmou.

Maia não deu prazo para a conclusão da conferência das assinaturas, mas disse que "certamente" será depois do carnaval, quando a CCJ voltará a funcionar.

G1.Com

Brasil perde quase 40% da água tratada com vazamentos e fraudes, aponta estudo


Por Clara Velasco, G1, São Paulo
Quase 40% da água tratada no país é perdida por causa de vazamentos nas tubulações, ligações clandestinas e erros de medição. É o que aponta um estudo do Instituto Trata Brasil obtido pelo G1. De acordo com os dados do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento (SNIS) de 2015, que são os mais recentes e foram divulgados em janeiro deste ano, o índice nacional de perda de água na distribuição é de 36,7%. Em 2011, era de 38,8% – o que significa uma evolução muito lenta para diminuir o desperdício no país, de apenas 2,1 pontos percentuais em quatro anos.

O estudo do Trata Brasil destaca ainda o desempenho das 100 maiores cidades do país em comparação com a média nacional. Segundo Édison Carlos, presidente do instituto, estas cidades deviam puxar o crescimento do país, já que têm estruturas públicas e privadas mais bem desenvolvidas e porque abrangem cerca de 40% da população do Brasil. As diferenças entre os índices nacionais e os dessas cidades, porém, são poucas. O índice de perda de água é de 37,8%, contra os 36,7% nacionais, e a melhora entre 2011 e 2015 foi semelhante – 2 pontos percentuais.

“São grandes aglomerados com capacidade de investimento, de fazer projetos, com corpo de engenharia, estão esperávamos que estas 100 cidades fossem a locomotiva do país. Os números, porém, mostram que não, que nem as capitais estão conseguindo fazer o papel de melhorar mais rapidamente os indicadores de água e esgoto”, afirma Édison Carlos. “Se essas cidades não estão conseguindo, imagina os municípios menores, que têm piores estruturas.”

O único índice que avançou muito mais nas grandes cidades que no restante do país foi o de coleta de esgoto. A cobertura nacional é de apenas 50,3% da população – o que significa que mais de 100 milhões de pessoas utilizam medidas alternativas para lidar com os dejetos, seja através de uma fossa, seja jogando o esgoto diretamente em rios. Já nas 100 maiores cidades, a cobertura é de 71,1%.

Segundo Édison, isso acontece por conta da grande concentração da população nas grandes cidades, já que uma única rede de esgoto construída atende um número elevado de pessoas e, consequentemente, causa aumentos significativos nos indicadores. Isso é diferente do que acontece no resto do país, pois uma rede vai atender apenas uma pequena quantidade de pessoas em uma cidade pequena.

O presidente do Trata Brasil cita o caso de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, que passou de 5% em 2008 para 100% em 2015 no tratamento de esgoto principalmente por causa da construção e do funcionamento de uma estação. “Os esforços feitos nessas grandes cidades elevam os indicadores de uma forma mais rápida. É um ponto positivo, mas ainda é pequeno para o problema do saneamento do país”, afirma.

Apesar disso, segundo o estudo, o pior indicador de cobertura entre as maiores cidades é o de tratamento de esgoto. Apenas 21% dessas cidades tratam mais de 80% de seu esgoto. Outros 21% tratam menos de 20%. Além de São José do Rio Preto, apenas 5 das 100 cidades reportaram tratar todo o esgoto – Campina Grande (PB), Jundiaí (SP), Limeira (SP), Niterói (RJ) e Piracicaba (SP). Já quatro não tratam nada: São João do Meriti (RJ), Santarém (PA), Governador Valadares (MG) e Porto velho (RO).
Ranking do saneamento
O estudo também faz um ranking das 100 maiores cidades do país baseado nos diversos indicadores de saneamento básico, como acesso ao abastecimento de água e à coleta de esgoto, o percentual do esgoto tratado e investimentos e arrecadação no setor. Veja a lista abaixo.

1º - Franca (SP)
2º - Uberlândia (MG)
3º - São José dos Campos (SP)
4º - Santos (SP)
5º - Maringá (PR)
6º - Limeira (SP)
7º - Ponta Grossa (PR)
8º - Cascavel (PR)
9º - Londrina (PR)
10º - Vitória da Conquista (BA)
11º - Curitiba (PR)
12º - Suzano (SP)
13º - Uberaba (MG)
14º - Taubaté (SP)
15º - Jundiaí (SP)
16º - Piracicaba (SP)
17º - Campinas (SP)
18º - Campina Grande (PB)
19º - Niterói (RJ)
20º - São Paulo (SP)
21º - Mauá (SP)
22º - Ribeirão Preto (SP)
23º - São José do Rio Preto (SP)
24º - Porto Alegre (RS)
25º - Goiânia (GO)
26º - Campo Grande (MS)
27º - Sorocaba (SP)
28º - Brasília (DF)
29º - Mogi das Cruzes (SP)
30º - Foz do Iguaçu (PR)
31º - Belo Horizonte (MG)
32º - Praia Grande (SP)
33º - Santo André (SP)
34º - Campos dos Goytacazes (RJ)
35º - Petrolina (PE)
36º - Petrópolis (RJ)
37º - Caxias do Sul (RJ)
38º - São Bernardo do Campo (SP)
39º - Vitória (ES)
40º - Montes Claros (MG)
41º - Volta Redonda (RJ)
42º - João pessoa (PB)
43º - Diadema (SP)
44º - Contagem (MG)
45º - Salvador (BA)
46º - São José dos Pinhais (PR)
47º -Carapicuíba (SP)
48º -Juiz de Fora (MG)
49º - Florianópolis (SC)
50º - Boa Vista (RR)
51º - Betim (MG)
52º - Osasco (SP)
53º - Guarulhos (SP)
54º - Ribeirão das Neves (MG)
55º - Feira de Santana (BA)
56º - Rio de Janeiro (RJ)
57º - Serra (ES)
58º - Governador Valadares (MG)
59º - São Vicente (SP)
60º - Guarujá (SP)
61º - Anápolis (GO)
62º - Santa Maria (RS)
63º - Caruaru (PE)
64º - Aracaju (SE)
65º - Blumenau (SC)
66º - Bauru (SP)
67º - Cuiabá (MT)
68º - Mossoró (RN)
69º - Itaquaquecetuba (SP)
70º - Fortaleza (CE)
71º - Pelotas (RS)
72º - Vila Velha (ES)
73º - Joinville (SC)
74º - Rio Branco (AC)
75º - Recife (PE)
76º - Natal (RN)
77º - Aparecida de Goiânia (GO)
78º - Paulista (PE)
79º - São Luís (MA)
80º - Caucaia (CE)
81º - Olinda (PE)
82º - São João de Meriti (RJ)
83º - Belford Roxo (RJ)
84º - Canoas (RS)
85º - Cariacica (ES)
86º - São Gonçalo (RJ)
87º -Maceió (AL)
88º - Teresina (PI)
89º - Juazeiro do Norte (CE)
90º - Belém (PA)
91º - Duque de Caxias (RJ)
92º - Nova Iguaçu (RJ)
93º - Várzea Grande (MT)
94º - Gravataí (RS)
94º - Manaus (AM)
96º - Macapá (AP)
97º - Porto velho (RO)
98º - Santarém (PA)
99º - Jaboatão dos Guararapes (PE)
100º - Ananindeua (PA)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Operação na Pipa prende ladrões de carro e recaptura fugitivos de prisões


Anderson Barbosa Do G1 RN

As polícias Civil e Militar detiveram 17 pessoas na manhã deste domingo (19) durante uma operação conjunta realizada na praia da Pipa, uma das mais badaladas do litoral potiguar. Armas, drogas e dois carros com queixas de roubo foram apreendidos. Entre os suspeitos levados para a delegacia estão dois fugitivos da Justiça. 

Pipa fica no município de Tibau do Sul, no litoral Sul potiguar. O grupo é suspeito de participar de uma quadrilha especializada em roubo e clonagem de carros. Os veículos recuperados são duas Toyotas, sendo uma caminhonete Hilux e uma SW4. Também foram apreendidos um revólver e uma pistola, além de grande quantidade de maconha prensada e dinheiro.

"Os suspeitos começaram a ser monitorados ainda na noite anterior, quando se divertiam em uma boate. Assim que o dia amanheceu, fizemos as prisões. Eles estavam em três chalés dentro de um condomínio fechado", relatou o tenente Daniel Costa, comandante da PM na região.

Os fugitivos foram identificados como Joalison Bruno Cabral e Cláudio Rodrigues de Macedo. O primeiro escapou em janeiro deste ano durante as rebeliões ocorridas na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte. A unidade fica em Nísia Floresta, na Grande Natal. Já o segundo, fugiu em junho do ano passado do Complexo Penal Dr. João Chaves, na Zona Norte da capital.